Cabo VerdePortugalSão Tomé e PríncipeSociedade

A força da mulher lusófona: conheça os nomes destacados no Prêmio Femina 2015

O Prêmio Femina será entregue somente no próximo dia 28, mas já foram anunciados os nomes agraciados com a distinção em 2015.

 

Georgina Benrós de Mello, diretora-geral da CPLP, recebe o Prémio Femina de Honra. Georgina é cabo-verdiana, licenciada em Economia e Gestão e já exerceu a profissão em Cabo Verde e em Timor-Leste, tendo trabalhado nesses países com projetos de diferentes agências das Nações Unidas.

 

O Prêmio Femina, criado há cinco anos, contempla mulheres notáveis dos países da Lusofonia que se tenham distinguido no mundo com mérito profissional, cultural e humanitário, “pelo conhecimento e pelo seu relacionamento com outras culturas”.

 

De acordo com o comunicado da associação Matriz Portuguesa – Sociedade Civil para o Desenvolvimento da Cultura e do Conhecimento, que instituiu o prémio, foram ainda distinguidas mais cinco mulheres.

 

Por mérito nas artes e letras recebem o prémio a são-tomense Inocência Mata e a luso-moçambicana Ana Mafalda Leite. Por mérito nas ciências, recebe a portuguesa Fátima Cardoso.

 

Soraya Gadit recebe o prémio Femina por méritos relevantes e, pela divulgação da cultura, da história e da matriz portuguesa no estrangeiro e na lusofonia foi agraciada Sónia Matias. As duas são portuguesas.

 

Veja a biografia completa das agraciadas
Previous post

Jovem investigadora portuguesa vence um dos mais importantes prémios de neurociência. O seu terceiro só este ano.

Next post

E depois do adeus?

1 Comment

  1. 23 Novembro, 2015 at 15:53 — Responder

    Se se entende que torturar seres vivos para divertir sádicos (porque é essa a “utilidade” da tauromaquia) faz parte da Cultura Portuguesa e da Dignidade Humana, e é uma actividade que VALORIZA a mulher portuguesa, peço desculpa, mas por muito que as laureadas já tenham feito pela humanidade, esse muito evaporar-se-á no momento em que aceitarem receber um prémio conspurcado pela iniquidade de um júri masculino que desconhece o verdadeiro sentido do VALOR FEMININO, e atribui o mesmo prémio a uma torturadora de Touros e Cavalos Lusitanos: Sónia Matias.

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *