Sustentabilidade

A produção biológica pode ser o futuro da agricultura em Portugal

Os produtos biológicos fazem parte das escolhas de cada vez mais pessoas, não só no contexto português como no europeu. Claro que, se os consumidores procuram, Portugal não quer ficar para trás. No entanto, para gerar estes produtos, é preciso que a agricultura implementada respeite alguns critérios. Entre eles, listam-se as ausências de fertilizantes sintéticos, agrotóxicos não orgânicos e reguladores de crescimento.

 

A chamada agricultura biológica veio para ficar e a tendência é que continue a crescer. Como apontam os dados divulgados pela Eurostat, Portugal tem tido um crescimento notável na área. Entre 2012 e 2016, os terrenos dedicados a este tipo de produção aumentaram 22% no país lusitano. Na prática, essa subida traduziu-se em mais 45 mil hectares de cultivo biológico — o que o levou a situar-se na média europeia. Assim, em 2016, segundo a mesma entidade, a agricultura em Portugal detinha mais de 245 mil hectares dedicados à produção biológica.

 

Com o surgimento de novos dados da Eurostat, pode concluir-se que o panorama aponta para mais crescimento. Embora os valores não tenham denunciado uma subida significativa e Portugal continue na média europeia (que também cresceu em 2017), os terrenos de agricultura biológica passaram de 6,75% a 7%. Talvez os números possam vir a ser mais altos num futuro próximo, uma vez que há normas europeias que têm que ser cumpridas. Quando um produtor quer tornar-se biológico, não pode fazê-lo de um dia para o outro. Este é um processo que pode demorar entre dois a três anos, dependendo do solo, que sofre análises regulares.

 

agricultura em portugal
Gráfico referente à percentagem de produção biológica nos vários países da Europa, em 2017 (Imagem: Reprodução Eurostat)

 

Esperemos que a agricultura em Portugal também se inspire noutros modelos europeus. Casos como o da Áustria, Estónia e Suécia, que lideram o pódio desta contagem, são os melhores exemplos atualmente. Por outro lado, é de salientar que, mesmo com números tímidos, o território português superou valores de países como a Bélgica, a Alemanha e a França.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *