BrasilEconomiaNotíciasPortugal

Comércio Brasil-Portugal cresceu quase 50% em 2018

De acordo com as informações divulgadas pela Macauhub, os dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior brasileiro apontam um crescimento de 45,8% nas trocas comerciais entre Brasil e Portugal, até outubro deste ano (2018) e comparativamente ao período homólogo. Em valores monetários, este crescimento traduz-se em 1.5 mil milhões de dólares (mais de 1.3 mil milhões de euros).

 

Entre janeiro e outubro, os produtos brasileiros a entrar em Portugal subiram 49,6%, ou seja, atingiram os 1.283 mil milhões de dólares (mais de 1.100 mil milhões de euros). Por sua vez, as exportações portuguesas para o Brasil, durante o mesmo período, cresceram 27,7%, o que se traduz em 231,593 milhões de dólares (mais de 205 milhões de euros). Os produtos que alimentam esta troca são o azeite, os óleos lubrificantes sem aditivos, os vinhos e o bacalhau, que chegam ao Brasil vindos de Portugal, bem como a soja, o açúcar, as madeiras e os laminados de ferro e aço, que chegam ao território português vindos do brasileiro.

 

Podemos considerar que o Brasil saiu a ganhar com as suas exportações, uma vez que registou vendas de 113,3 mil milhões de dólares (mais de 118,2 mil milhões de euros) e compras de 75,4 mil milhões de dólares (mais de 66 mil milhões de euros) – o que lhe dá um excedente de 37,9 mil milhões de dólares (mais de 33,5 mil milhões de euros).

 

VEJA TAMBÉM

 

É importante assinalar que o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, entidade responsável pela divulgação destes dados, será incorporado no futuro Ministério da Economia (atual Ministério da Fazenda) -, tal como o Ministério do Planeamento e partes do Ministério do Trabalho. A reforma do Ministério da Fazenda, agora comummente apelidado pela imprensa de “superministério“, chega pelas mãos de Jair Bolsonaro, o novo presidente brasileiro, que tomará posse no primeiro dia do próximo ano (2019).

Previous post

Manoel de Barros, poeta brasileiro, deixou este mundo há 4 anos

Next post

Guiné-Bissau: estudo demonstra que população não confia no sistema de saúde pública

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *