BrasilCulturaMoçambiquePaíses

Escola de samba brasileira canta a história de Moçambique na avenida

(Imagem: Reprodução SPTV)

“Moçambique, a Lendária Terra do Baobá Sagrado” será o tema apresentado pela escola de samba Nenê da Vila Matilde neste Carnaval.

Também conhecido como imbondeiro, o baobá virá representado já no primeiro carro alegórico da escola, o abre-alas, com uma estrutura de cerca de seis metros de altura que terá no seu tronco um rosto de um homem, que, no enredo, apresentará a história de Moçambique.

– Muitas vezes só chegam aos brasileiros os problemas de Moçambique, os conflitos, a AIDS. Mas há também muita coisa boa, há pessoas que enfrentam as adversidades com um sorriso no rosto, vestindo cores vivas. Queremos que o Brasil conheça melhor esse país – , disse o carnavalesco Pedro Alexandre Lacerda, conhecido como Magoo, em entrevista à Agência Lusa.

O desfile será composto por quatro partes: a primeira, com alas sobre a formação de Moçambique e os povos de várias regiões africanas; a segunda apresentará as invasões e a colonização, com dragões representando os conquistadores; a terceira sobre os costumes e tradições culturais; e a quarta com uma visão otimista de futuro, incluindo a agricultura e o turismo.

Para melhor representar o país na avenida, a escola aposta em cores fortes e materiais leves e rústicos, como tecidos, máscaras, palha ou algodão cru.

A diretora de Carnaval da escola, Lucia Helena da Silva, realçou que as semelhanças entre Brasil e Moçambique vão muito além da língua e abrangem costumes e características.

– Carnaval é cultura, pelo Carnaval a gente aproxima os povos, faz as histórias ficarem conhecidas -, acrescentou.

O tema do enredo foi escolhido após a ideia de um membro da escola, que havia visto uma reportagem sobre o baobá na televisão. A pesquisa feita sobre o país, segundo a diretora, foi certificada pelo Instituto Nacional do Turismo de Moçambique (Inatur).

Na noite do desfile, autoridades de Moçambique devem representar o país no carro abre-alas, afirmou a diretora, além de outros moçambicanos divididos entre as alas. A escola será a última a desfilar na sexta-feira anterior ao carnaval, 13 de fevereiro.

Conheça o samba-enredo:

Moçambique – A Lendária Terra do Baobá Sagrado

Bate o tambor do meu samba
Surdo, tarol e repique
A vila hoje canta moçambique
Vem bateria de bamba
Quem esperou pra me ver
Chegou Nenê

Amanheceu, resplandeceu, outra vez clareou
Eu sou raiz do povo banto
Presente que o tempo ofertou
Sabedoria, legado dos meus ancestrais
Trago um “eldorado” de riquezas naturais
História singular, guerreira ao despertar
Sagrado meu nome é baobá

O mar virou mareia
Ao longe ouço o cantar, sereia
Eu vi chegar o invasor
Dragões e filhos de alah
Demônios de além mar

Testemunhas de batalhas, resistência
Eu não me curvo jamais
Liberdade, veio a independência
Um forte laço se faz
Hoje a savana renasce
E a vida floresce nos braços da paz
Pérola do índico
Terra de encantos e magia
Surge o “leão da tecnologia”
Vejo um futuro promissor
Espírito ancestral, eu vim pro carnaval
Trazendo o sorriso dessa gente
Minha águia espalha essa semente

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.