BrasilSociedade

Mamãs e Papás: já existe um guia nutricional de alimentação vegetariano para bebés e crianças

Se a carne e o peixe não entram na sua alimentação diária e pretende que esses mesmos hábitos alimentares sejam adotados pelos seus rebentos, mas não sabe como, pode respirar de alívio; temos a solução ideal. A Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) acabou de lançar um guia nutricional de alimentação vegetariano, facilitando-lhe a tarefa. Esta espécie de boletim informativo contém dicas preciosas sobre a alimentação dos bebés e das crianças vegetarianas, até aos dois anos de idade, desmistificando os (ainda) inúmeros tabus relacionados com a nutrição infantil.

 

Este guia nutricional encontra-se disponível gratuitamente para download, comprometendo-se a explicar o bê-á-bá da dieta vegetariana e vegana juvenil. Este foi construído com base em pesquisas importantes, realizadas na área da nutrição, contendo ainda, ao longo das suas 56 páginas, relatos e dicas reais de mães e pais que abraçaram esta pirâmide alimentar inconvencional, em prol de hábitos alimentares mais saudáveis e sustentáveis.

 

As informações compiladas vão desde os esclarecimentos sobre o aleitamento materno, indicando as principais diferenças das propriedades do leite produzido pelas progenitoras veganas e vegetarianas, até a explicações sobre suplementos, cuidados médicos e produtos lácteos vegetais. Além disso, o documento contém uma listagem de receitas variadas para implementar na alimentação familiar; não se preocupe com a escassez de opções, estas são infinitas.

 

Se está com dúvidas sobre como adotar uma alimentação alternativa, o guia nutricional de alimentação vegetariano também se compromete a esclarecê-las. Existe toda uma secção projetada e dedicada ao planeamento alimentar infantil, indicando-lhe em que ingredientes deve apostar nas principais refeições diárias: pequeno-almoço, lanche matinal, almoço, lanche tardio e jantar. Claro está que, em vez de carne e peixe, as leguminosas ganham um lugar cativo no prato, deixando espaço para a proteína vegetal  se responsabilizar pela produção da energia do organismo.

 

Para o caso de estar interessado neste boletim nutricional, pode consultá-lo aqui.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *