CulturaMundoMúsica

Reggae jamaicano é considerado Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO

Uma coisa boa sobre a música é que quando esta embate em ti, não te magoa; ninguém sente dor” (Bob Marley, tradução livre). Esta célebre frase foi proferida pelo emblemático cantor Bob Marley, ícone da cultura musical jamaicana, antes de este sonhar que iria ser mundialmente reconhecido. Atualmente, depois de mais 75 milhões de discos vendidos, a voz – que ajudou a popularizar o reggae além-fronteiras – volta a ser relembrada no dia em que este estilo musical é considerado, pela UNESCO, Património Imaterial da Humanidade.

 

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) inscreveu hoje (29 de novembro de 2018) o reggae, género musical que ajudou a dar “voz aos marginalizados”, carregando mensagens de “injustiça, resistência, amor e humanidade” nos seus ritmos e letras, na lista representativa do Património Imaterial da Humanidade – reconhecimento que abrange expressões culturais e as tradições de um grupo de indivíduos, preservando o respeito da sua ancestralidade e garantindo a sua transferência para as gerações futuras.

 

Em comunicado, a entidade da ONU destacou a contribuição do reggae para a consciência internacional, ajudando a proliferar mensagens de esperança, coragem e desigualdade por todo o globo. Este estilo musical, desenvolvido pelos grupos marginalizados do oeste de Kingston (capital da Jamaica), “preserva toda uma série de funções sociais e básicas da música – sujeita a opiniões, práticas catárticas e tradições religiosas – e continua a ser um meio de expressão cultural para a população jamaicana como um todo“, sublinhou a UNESCO.

 

VEJA TAMBÉM

 

Ainda em comunicado, a organização da ONU relembrou que o reggae surgiu de uma “amálgama de antigos ritmos musicais jamaicanos, incluindo linhagens e contribuições oriundas das Caraíbas, da América Latina e  da América do Norte”. Hoje em dia, esta forma de expressão artística ainda é “tocada e abraçada por uma ampla secção transversal da sociedade, incluindo vários géneros, grupos étnicos e religiosos”, acrescentou.

 

O reggae continua presente em todos os níveis educacionais do país. O ensino deste estilo musical está presente em creches, escolas e, até, em universidades; é cultura cantada, tocada e dançada. Está mais do que enraizado na Jamaica, espalhando-se e estabelecendo, também, raízes noutros locais e noutras culturas. Por estes motivos, mereceu ser distinguido como Património Imaterial da Humanidade, tornando-se numa oportunidade de estudo e transmissão para futuros artistas, justificou a UNESCO.

 

Com o intuito de celebrarmos, deixamos-lhe uma das músicas mais famosas de Bob Marley, em baixo. Por isso, deixe-se embalar; somos todos reggae.

 

Previous post

Brasil: Comissão do Senado aprova uso medicinal da Cannabis

Next post

Brasil e Portugal unem-se no combate à corrupção

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *