Cultura

O que é caldo de mancarra? Como fazer esta delícia guineense?

Caldo de mancarra é um dos pratos mais comuns e típicos da culinária da Guiné-Bissau, já que o grão é um dos alimentos mais encontrados no país. Para quem não sabe, mancarra é o nome guineense para o clássico amendoim.

 

Sim! A cultura do amendoim — que desenvolve-se bem nas temperaturas médias de 26º da região — é uma das tradições e forças da economia nacional. Confira a receita e um pouco da história!

 

Mancarra pelas mãos dos portugueses

De origem indígena, a grande presença da espécie de mancarra hoje reinante na região (Arachis hypogaea) tem crescido desde que os portugueses trouxeram a planta da América do Sul, à época das navegações. Nos anos 80, a região de produção de mancarra era o rio Grande de Buba mas, com o enfraquecimento do solo, as plantações foram migrando para as regiões de Farim, Bafatá e Nova Lamego, mais ao norte, próximo à fronteira com o Senegal. O Senegal é um dos maiores exportadores de amendoim do mundo.

 

Esse enfraquecimento de solo levou a mancarra do apogeu ao declínio na década de 1990, quando foi progressivamente sendo substituída em importância pela castanha de caju, teoricamente mais rentável. Acrescente-se ao cenário econômico a crise política constante — que dificulta um programa estruturado de apoio à agricultura nesse setor e a situação não fica melhor. Nenhum presidente eleito cumpriu o mandato desde 1973, quando o país foi independente. Segundo relatório do Programa Mundial de Alimentos (WFP), em torno de 70% da população vive abaixo da linha de pobreza e uma parte expressiva é ligada à agricultura, incluindo da mancarra.

Caldo de mancarra simples

1 frango
1 cebola grande
1 limão
250 gr. de mancarra (amendoim)
3 tomates vermelhos
1oo ml de água
Sal e piripiri

 

Limpa-se o frango e corta-se aos bocados, temperando-os com sal, pimenta piripiri e cebola. Leva-se ao fogo baixo com um pouco de água para cozer.

 

À parte, transforma-se o amendoim em pó (amassando ou batendo os grãos em liquidificador) deixando-o bem fino. Para os brasileiros: é possível fazer com paçoca (doce de amendoim brasileiro). Misturam-se os tomates. Há quem tire a pele e as sementes antes de acrescentá-lo, mas não é obrigatório. Deita-se então a água quente nesta massa e mexe-se para desfazer bem. Depois de peneirada, a mistura vai ao frango e ferve-se um pouco. Quando acabar, desliga-se, acrescenta-se sumo de limão e serve-se com arroz.