CulturaPortugalTurismo

Por que é que o azulejo não é azul / Why ‘azulejo’ is not ‘blue’

Leya

 

A nossa correspondente da Roménia, Ioana Bota,  regressa para nos brindar com um texto sobre a sua visita ao Museu Nacional do Azulejo. Depois de ler acreditem que vão ter vontade de lá ir. 🙂
Para os que não sabem o significado de azulejo, é uma espécie de tela em cerâmica pintada, e vem da língua árabe. Durante séculos tornou-se bastante popular na Península, especialmente no Sul.
As pessoas usam-os para decorar as suas casas e a sua utilização tornou-se de tal forma divulgada que hoje em dia é difícil encontrar uma casa antiga que não tenha os azulejos fixos algures ao longo das paredes.
Admito que demorei bastante tempo para ganhar coragem em visitar o Museu Nacional do Azulejo, pois não sou grande admiradora deste tipo de arte e azulejos, e não tinha a certeza se iria achar este local interessante.
Situado fora do centro de Lisboa, perto da estação da Santa Apolónia, este museu parece bastante desprovido por fora, fazendo nos questionar que género de beleza guarda nestas paredes. Assim que se entra no lugar, um lado inteiramente moderno do museu revela-se e novamente nos perguntamos se estaremos no local certo.

Our Romanian news correspondent, Ioana Bota, has shared with us another text about her visit at Museu Nacional do Azulejo. After reading this you will want to go there. 🙂
For those of you who do not know what azulejo means it is a form of Portuguese and Spanish painted tin-glazed ceramic tile work, which comes from the Arabic language. Along the years, it has become quite popular in the Peninsula, especially in the South.
People use it to decorate their houses and the usage has become such widespread that, nowadays, it is difficult to find an old house that does not have the tiles carved somewhere along its walls.
I must admit it took me quite a long time to actually gather the courage to visit the Museu Nacional do Azulejo as I am not particularly a fan of this type of art and tiles, and I was not sure I would find this place interesting enough.

Imagem: Ioana Bota, Fora da Rota
Os primeiros passos levam-nos às primeiras galerias onde se começa a viagem entre a beleza de transformar esta arte em realidade. Todas as formas, todas as molduras e todas as cores ajudam-nos a compreender que isto não é uma arte qualquer, mas algo especial. Lentamente ficamos a compreender que durante séculos esta técnica foi sendo aperfeiçoada até conseguir fazer algo que perdure.
Questionamo-nos em como eles têm tido a paciência de criar azulejos assim tão bonitos e decorados, as técnicas e a imaginação de gastar horas, dias, semanas e até mesmo anos de cada vez num trabalho de arte do tamanho de uma parede.
Mas enquanto caminham por este tão bem organizado museu, irão reparar que esta arte não terminou no século VIII e tem continuado até aos nossos dias.
Situated outside the center of Lisbon, fairly close to the Santa Apolonia train station, this museum looks incredibly shabby from the outside, making you wonder what kind of beauty can these walls hold? Once you enter the place, a whole modern side of the museum reveals itself and again you ask yourself if you are in the right place.
Your first steps take you to the very first galleries where you start your journey among the beauty of making this art into reality. All the shapes, all the moldings and all the colors help you understand that this is not an ordinary art, but something special. Slowly it dawns on you that for centuries people have mastered this craft and succeeded in making something last.
You wonder how they had the patience to create such beautifully decorated tiles, the skills and the imagination to spend hours, days, weeks and even years at a time on a wall size work of art?
But as you walk through this amazingly organised museum, you notice that the craft has not stopped in the VIII-th century and that it continues even today.
Imagem: Ioana Bota, Fora da Rota
Ficarão ainda mais fascinados de ver azulejos de estilo mais moderno, e nas suas estruturas com detalhe e as suas cores tão bem organizadas. É impossível não sentir uma pitada de apreciação por esta arte.
Podemos ver muitos museus em Lisboa, mas na verdade, o Museu Nacional do Azulejo é de todos o que merece uma visita estando em Lisboa, só mesmo para ver o porquê dos azulejos não serem azuis.

Texto por Ioana Bota

You become more fascinated at seeing the modern type of azulejo, checking out their detailed structures and their amazingly organised colors. It is impossible not to feel a pinch of appreciation towards this art.
One may see a lot of museums in Lisbon, but truth be told, Museu Nacional do Azulejo is among the museums worth visiting when you are in Lisbon – even just to take a glimpse of why azulejo is not blue.

Text by Ioana Bota

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.