CulturaDestaquePortugal

As cinco bibliotecas mais bonitas de Portugal

Não faltam na imprensa e sites especializados artigos a exaltar a beleza das paisagens e da cultura de Portugal. Quando o assunto é literatura, para além da riqueza dos seus autores, o país é referência no quesito beleza das suas bibliotecas e livrarias.

 

Selecionamos as nossas cinco favoritas:

 

Biblioteca Joanina, Coimbra

A Biblioteca Joanina, do século XVIII, está situada no Palácio das Escolas da Universidade de Coimbra. Apresenta um estilo Rococó, sendo reconhecida com uma das mais originais bibliotecas barrocas europeias. Além de local de pesquisa, o espaço é ainda frequentemente utilizado para concertos, exposições e outras manifestações culturais.

(Imagem: Reprodução Universidade de Coimbra)
(Imagem: Reprodução Universidade de Coimbra)
(Imagem: Reprodução de rerum mundi)
(Imagem: Reprodução de rerum mundi)

 

Clique aqui para fazer uma visita virtual à Biblioteca Joanina

 

(Imagem: Reprodução Arca dos Sonhos)
(Imagem: Reprodução Arca dos Sonhos)
(Imagem: Reprodução Universidade de Coimbra)
(Imagem: Reprodução Universidade de Coimbra)

 

Livraria Lello&Irmão, Porto

Considerada unanimemente como uma das mais belas do mundo, a já centenária livraria Lello & Irmão inspirou J. K. Rowling, a autora da saga Harry Potter. Considerada desde 2003 foi considerada pelo Estado português como monumento de interesse público, o prestígio da livraria não cessa de aumentar dentro e além-fronteiras e facilmente se percebe o porquê.

(Imagem: Reprodução Pinterest)
(Imagem: Reprodução Pinterest)
(Imagem: Reprodução Porto24)
(Imagem: Reprodução Porto24)
(Imagem: Reprodução Flickr)
(Imagem: Reprodução Flickr)
(Imagem: Reprodução Neil Hennessi-Vass)
(Imagem: Reprodução Neil Hennessi-Vass)

 

Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra

A Biblioteca ou Casa da Livraria, como também era chamada, ocupa a mais nobre e vasta de todas as salas do Palácio Nacional de Mafra. Com um valioso acervo de aproximadamente 36 mil volumes, é um verdadeiro repositório do saber e utiliza-se de uma estratégia pouco usual para impedir que as obras sejam danificadas pelos insetos: morcegos.

(Imagem: Reprodução Ruralea)
(Imagem: Reprodução Ruralea)
(Imagem: Reprodução falandoemliteratura.com)
(Imagem: Reprodução falandoemliteratura.com)
(Imagem: Reprodução Ruralea)
(Imagem: Reprodução Ruralea)
(Imagem: Reprodução Ruralea)
(Imagem: Reprodução Ruralea)

 

Biblioteca da Cruz Vermelha Portuguesa, Lisboa

Localizada no Palácio da Rocha do Conde d`Óbidos, em Lisboa, a Biblioteca da Cruz Vermelha é reconhecida para além das suas obras, pela beleza da arquitetura e pinturas. O painel central, pintado em 1938 por Gabriel Constante, reproduz a Paz de Alvalade, no qual figuram a Rainha Santa Isabel, o Rei D. Dinis e seu filho D. Afonso. Um grande lustre de cristal, fabricado pela fábrica da Marinha Grande, está suspenso no centro desta pintura.

(Imagem: Reprodução capitalbloogs)
(Imagem: Reprodução capitalbloogs)
(Imagem: Reprodução theya)
(Imagem: Reprodução theya)
(Imagem: Reprodução olhares)
(Imagem: Reprodução olhares)
(Imagem: Reprodução ncultura)
(Imagem: Reprodução ncultura)

 

Biblioteca da Academia de Ciências de Lisboa

A Academia das Ciências de Lisboa possui uma das mais importantes bibliotecas do país, resultante da reunião do seu próprio espólio ao da ‘Livraria’ do Convento de Jesus, da Ordem Terceira, após a extinção deste e subsequente outorga por D. Maria II (1834) do edifício e seu conteúdo à Academia.

(Imagem: Reprodução Academia das Ciências de Lisboa)
(Imagem: Reprodução Academia das Ciências de Lisboa)
(Imagem: Reprodução Academia das Ciências de Lisboa)
(Imagem: Reprodução Academia das Ciências de Lisboa)
(Imagem: Reprodução Ruralea)
(Imagem: Reprodução Ruralea)
(Imagem: Reprodução Ruralea)
(Imagem: Reprodução Ruralea)

 

 

Leya

Previous post

Portugal, querido pelos mochileiros

Next post

A CPLP precisa de um Banco de Desenvolvimento

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *