AngolaSustentabilidade

Angola recebe 7 milhões de euros das Nações Unidas para combater a seca

Leya

 

As Nações Unidas doaram a Angola 8,2 milhões de dólares (7,2 milhões de euros) para combater a seca que tem afetado a província do Cunene. Ao longo dos últimos anos, as alterações climáticas têm provocado gravíssimas secas nesta província. De modo a reverter a situação, as Nações Unidas criaram o Projeto de Resiliência às Alterações Climáticas na Bacia Hidrográfica do Rio Cuvelai.

 

A ministra do Ambiente angolana, Fátima Jardim, e o Coordenador residente das Nações Unidas em Angola, Pier Paolo Balladelli, assinaram, na passada sexta-feira (12 de fevereiro), o memorando para a execução deste projeto, que está inserido no Plano de Adaptação de Angola, uma obrigação da Convenção-quadro da ONU para as alterações climáticas.

 

Este projeto deve ser desenvolvido até 2019 e tem como grande objetivo promover a instalação de um sistema de alerta rápido de modo a prevenir e reduzir as alterações climatéricas. Para execução deste objetivo, a capacidade do serviço de hidrometeorologia local será reforçada.

 

Pier Paolo Balladelli, representante em Angola do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), salientou que o projeto vai ajudar na mitigação climática e na diminuição da pobreza.

 

– Os camponeses que vão ser parte alvo deste projeto sobre a Bacia do Rio Cuvelai vão ter muito mais capacidade de resiliência, porque vão ter mais informações sobre como ele tem que se adequar para ter cultivações mais rentáveis nesse tipo de problemas que temos pela mudança climática – referiu, em declarações citadas pela Agência Lusa.

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.