BrasilPaíses

Passado um ano do massacre… a revolta continua

(Imagem: Reprodução Marcello Casal Jr, Agência Brasil, via Fotos Públicas)

Nunca em toda a história de Mundiais de futebol havia existido um “massacre” em pleno jogo como há um ano atrás. Cinco a zero num espaço de 29 minutos de bola a rolar em campo, numa meia-final de tal forma desequilibrada que levou a seleção da Alemanha a destruir por completo toda a esperança que existia na seleção Brasileira de chegar às finais do Mundial de 2014.

Sete a um foi o resultado final do jogo, a maior derrota alguma vez sofrida pelo Brasil na competição.

Passado um ano desta marca no futebol brasileiro a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) tentou animar a sua seleção através da rede social twitter postando um texto encorajador e uma fotografia da antiga t-shirt da equipa.

(Imagem: Reprodução Twitter)
(Imagem: Reprodução Twitter)

(Imagem: Reprodução Twitter)
(Imagem: Reprodução Twitter)
(Imagem: Reprodução Twitter)

O resultado que a CBF pretendia foi sem dúvida um fiasco e vários internautas mostraram a sua revolta através de tweets em resposta ao post motivador. Vários comentários irónicos criticavam a entidade dos administradores do futebol brasileiro e até mesmo a Dona Lúcia, senhora anónima ficou conhecida por mandar uma carta de apoio a Scolari e a Carlos Parreira no dia seguinte à derrota, foi enunciada nos tweets.

 

O jornal Zero Hora fez uma reportagem especial sobre a derrota do Brasil frente à Alemanha no Mundial de 2014. Veja aqui como o mundo viu o 7-1.

O povo ainda está revoltado com a CBF, e sabe bem mostrar isso.

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.