SociedadeSustentabilidade

Rumo a uma Lusofonia Sustentável?

Desafio proposto para este 1º Artigo escrito sob a minha “pena”: Conectar Lusofonia e Sustentabilidade!! Dois palavrões para cima de 8 sílabas, altamente complexos, ricamente actuais e aparentemente primos afastados, pois após uma breve pesquisa online pouco ou nada existe sobre o assunto…mas como o desafiante é a Conexão, apertem os vossos cintos de pensamento  e vamos tentar viajar por terreno desconhecido rumo à Sustentabilidade Lusófona ou à Lusofonia Sustentável!!

Ora bem, se me permitem a audácia metodológica (ou falta dela) irei iniciar este nosso deâmbulo intelectual pela 2ª parte da equação: a SUSTENTABILIDADE, a qual pode ser linearmente definida como: ”a capacidade de um sistema complexo se auto-perpeturar no espaço/tempo indeterminadamente levando os seus constituintes  a maximizarem a sua função e finalidade”… aplicando, por exemplo, ao sistema “humanidade”, isto seria o equivalente a dizer: “a capacidade de encontrar um equilibrio intergeracional e espacial no uso dos nossos recursos que maximize o  nosso bem-estar e felicidade sem nunca colocar em causa as gerações futuras”.

Neste caso em específico o nosso sistema é a LUSOFONIA, ou mais concretamente, a identidade cultural que liga os países, regiões e de uma forma mais ampla, os falantes de língua portuguesa. Logo, surge a questão: O QUE É A LUSOFONIA SUSTENTÁVEL?

Será esta identidade, associada a um código de linguaguem comum, sustentável? Levará à maximização dos seus componentes – música, literatura, etc.? É a linguagem, ou a língua em si um sistema sustentável?? Eu, aqui e se me permitem, arriscaria um SIM…acredito que enquanto houver humanidade, existirá comunicação, logo linguagem, logo língua…agora, será que esta nossa identidade cultural ancôrada ao “português” irá sobreviver aos acordos impostos?? À comunicação virtual dos “pk”?? Às calinadas gramaticais e importações franchisadas*?? À uniformização do english? OU à invasão online do Mandarim??? Eu questionaria mesmo: será que faz sentido estarmos a falar sobre a Sustentabilidade de algo que é inatamente impermanente?? Se pensarmos bem, a linguagem é algo que está em constante evolução e com ela toda a cultura associada…ora vejamos, o português do nosso caríssimo D. João II que iniciou os benditos Descobrimentos seria hoje em dia incompreensível, ou pelo menos díficil, o português que será falado dentro de 500 anos, ou mesmo dentro de 50 (ao ritmo das mudanças actuais) será potencialmente incompreensível para muitos ainda presos ao ao Windows 97…

Imaginem apenas por um momento o que será a tal de Lusofonia dentro de 50 anos?? Um conjunto de memórias melancólicas nums velhos que ainda se juntam para ouvir Gilberto Gil e declamar Florbela Espanca?? Uma identidade de uma nova mega nação, vamos chamar-lhe a República  da Lusofonia?? Algures no meio entre estes dois cenários??

A Lusofonia será aquilo que nós fizermos dela!!

A Lusofonia será ou não sustentável dependendo do nosso contributo diário, da nossa energia consciente em torno desta identidade comum..se não fizermos nada, mais tarde ou mais cedo dilui-se e morre entre CD’s do Eminem e junk food.

E respondendo à questão anteriormente lançada, SIM!! Acredito que faz sentido equacionar a sustentabilidade de uma identidade que queremos preservar e enriquecer!! FAZ SENTIDO pensar na Sustentabilidade Lusófona como um objectivo!!!!

É esse pensamento que nos permite visualizar os desafios futuros e com base neles fazer crescer um sentimento, um movimento, uma conexão de energias e intenções cujo objectivo último é perpetuar no tempo e no espaço esta nossa identidade cultural comum, esta nossa LUSOFONIA!

Saudações energéticas & sustentáveis para todos os Lusófonos.

Fotografia em terras moçambicanas gentilmente cedida por Artur Cabral.
Esta e outras preciosidades em: www.arturcabral.com

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.