ArteBrasilCulturaEducação

Sinopse de «A Festa é Minha e Eu choro se Eu Quiser», de Maria Clara Drummond

Por Kairo Dias

 

Jovem cineasta bem-sucedido sofre de ansiedade e depressão por não se sentir realizado. Qual seria a definição de felicidade?

 

Ser reconhecido profissionalmente, participar das maiores festas, estar acompanhado das pessoas mais desejadas do momento é o sonho da maioria dos jovens de hoje em dia. A Festa é Minha e Eu choro se Eu Quiser, escrito por Maria Clara Drummond, apresenta uma estória emocionante sobre um jovem cineasta chamado Davi que mora em São Paulo, tem um ótimo salário e é sempre convidado para as noitadas com seus amigos.

 

Seus problemas começam após uma festa de réveillon, quando Davi cai na realidade e percebe, por mais que tenha dinheiro, amigos, festas, drogas, que não é feliz. A estória é desencadeada a partir desta situação, o protagonista convive com depressão e ansiedade, doenças mentais presentes em sua adolescência e comuns na vida das pessoas com que convive.

 

Davi demonstra ser uma pessoa melancólica e vai ficando cada vez menos interessado no seu estilo de vida e passa a enxergar a futilidade presente nos ambientes de festa e, até mesmo, em suas amizades, diferentemente dos seus amigos do ensino médio. Então, decide se ausentar de sua vida e voltar a viver com seus pais, a fim de reencontrar sua essência, por mais que tenha que abrir mão de tudo o que sempre buscou.

 

O foco do livro é apresentar a superficialidade das relações humanas, inclusive a capacidade de perder-se dentro de si mesmo. A leitura é rápida, a autora consegue apresentar toda essa problemática de forma a fazer o leitor envolver-se profundamente com a situação e com a personagem, a fim de fazer com que possamos nos identificar com a busca irracional por uma felicidade constante.

 

Sobre a autora: A jornalista e escritora Maria Clara Drummond nasceu em 1986, no Rio de Janeiro. Depois de uma temporada em São Paulo, voltou, em 2015, a viver na cidade. Maria Clara lançou o seu segundo romance, A Realidade Deveria Ser Proibida, pela editora Companhia das Letras, uma das maiores e mais respeitadas do país. O seu livro anterior, A Festa é Minha e Eu Choro Se Quiser, foi publicado pela Editora Guarda-Chuva em 2013.

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.