BrasilCabo VerdeEconomiaPaísesPortugal

Brasil, Cabo Verde e Portugal propõem rede para impulsionar o turismo

(Imagem: Rony Moreira, via Turismo Sustentável em Cabo Verde)

Os representantes de Fortaleza (Brasil), Ferreira do Alentejo (Portugal), juntamente com os municípios da Ilha do Fogo e do Sal (Cabo Verde), estiveram reunidos na Ilha do Sal para lançar uma rede de negócios entre os três países.

No encontro “Ceará-Cabo Verde-Alentejo: Eixo Atlântico”, os quatro representantes reuniram-se em torno de uma ideia para criar trocas comerciais e de turismo entre a população dos três territórios, por eixos institucionais e empresariais.

A comercialização de produtos regionais e o fortalecimento de amizades já existentes são os pontos fortes desta aliança para impulsionar o turismo e trazer benefícios aos setores de agro-negócios, em particular, dar atividade ao Aeroporto de Beja (Portugal) através de uma maior sensibilização de companhias aéreas para intensificarem o transporte de turistas e mercadorias na região.

O presidente da Câmara Municipal do Sal, Jorge Figueiredo, espera alcançar com a aliança a oportunidade de gerar-se um circuito mais barato, que alimente os mercados locais com qualidade e quantidade de produtos, de forma a fortalecer o turismo, melhorando também as condições de acesso da população a alimentos.

Já o presidente da Câmara Municipal da Ilha do Fogo, Luís Pires, refere-se à aliança enquanto estratégica e histórica para o desenvolvimento no trio África/Europa/América do Sul, tendo ao centro Cabo Verde.

Segundo informações do portal Portugal Digital, o autarca identifica que o tráfego aéreo é um dos grandes condicionantes nesta aliança:

– Mas, é seguro que os quatro municípios juntos vão procurar intensificar o diálogo com os governos, companhias, empresários, fazendo com que essa circulação possa acelerar, e possamos, efetivamente, nesse triângulo, fazer sucesso no setor do turismo – afirmou.

Aníbal Costa, presidente da Câmara Municipal de Ferreira do Alentejo, manifestou grande interesse em apoiar o desenvolvimento da Ilha do Sal através do abastecimento regular de recursos, como por exemplo, produtos agro-industriais, sublinhando a necessidade de usar esta componente enquanto medida de turismo para “interesse de todos”.

Por sua vez, Renato Borges, o coordenador-geral da Secretaria de Turismo de Fortaleza, realçou que uma das políticas públicas da cidade é ampliar o relacionamento e o turismo entre países, desde que seja feito de forma “ordeira e coerente”, apresentando resultados.

– Não mediremos esforços para fazer as coisas acontecer através das medidas públicas aqui colocadas, visando a promoção de cada cidade que desperta o interesse no investimento. Essa aliança é indispensável no sentido de gerar mais negócios – concluiu.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *