BrasilCulturaNotícias

Zumbi dos Palmares, um líder da história negra brasileira

Desde o ano de 2003, quando foi aprovada, no Brasil, a Lei Nº 10.639 – que inclui a obrigatoriedade do estudo da História e Cultura Afro-Brasileira nas escolas de todo o país – o dia 20 de Novembro foi incluído oficialmente no calendário como Dia da Consciência Negra. A data é uma homenagem a Zumbi dos Palmares – que foi assassinado neste mesmo dia em 1695 – e uma forma de ressaltar a importância do combate ao racismo.

Monumento a Zumbi, no Rio de Janeiro, foi vandalizado por nazistas em 2014 (Imagem: Reprodução G1)

 

Mas quem foi Zumbi?

 

Herói do povo negro, Zumbi foi o último líder do grande movimento de resistência à escravidão no Brasil na época colonial, chamado Quilombo dos Palmares, na Serra da Barriga  – desde 2017 considerada património cultural do Mercosul. Quilombo é o nome dado aos locais onde se concentravam os escravos fugidos – e outras minorias -, que passavam a participar de uma comunidade e a viver a partir da pesca, caça, agricultura e coleta. O Quilombo dos Palmares é o mais famoso dos quilombos da altura colonial e ficava onde hoje é a região das Alagoas, no nordeste do Brasil, chegando a ter cerca de 30 mil pessoas no século XVII.

 

O maior crescimento do Quilombo dos Palmares se deu na altura das invasões holandesas. Quando a Holanda invade a região onde hoje é Pernambuco, em 1630, a disputa entre portugueses e holandeses favorece a fuga de escravos das fazendas da região, das prisões e das senzalas (moradias destinadas aos escravos que trabalhavam nos engenhos). A grande envergadura do movimento de resistência gera preocupação entre senhores de engenho e poderosos.

 

Veja também

Njinga Mbandi: o símbolo da resistência africana face ao colonialismo

Livro apresenta em quadrinhos (BD) um novo retrato da escravidão no Brasil

 

Zumbi era descendente de guerreiros angolanos, mas foi aprisionado ainda em criança e criado por um padre – com quem aprendeu português e latim. Em 1670, fugiu da Igreja e voltou a Palmares, onde acabou por se tornar o grande líder após o líder anterior fazer um acordo com o governador de Pernambuco para garantir direitos de terra apenas para negros que haviam nascido no quilombo – excluindo os outros. Na segunda metade do século XVII, começaram as incursões por parte dos poderosos da região contra Palmares, para tentar desestabilizar o movimento e recuperar os escravos fugidos. O Quilombo foi destruído em 1694 e Zumbi, que havia escapado, foi assassinado em 1695, tendo sua cabeça sido decepada e exposta em praça pública.

 

A história de Zumbi é tratada em filmes, teatros, livros, reportagens e ensinada no ensino básico brasileiro. Em 2017, foi lançada também a banda desenhada (quadrinhos) Angola Janga, que retrata a vida do líder. Conheça um pouco da história:

 

Zumbi dos Palmares é considerado um símbolo da resistência antiescravagista mas também sofre críticas. Há um movimento de estudiosos que aponta a existência de escravidão interna no Quilombo de Palmares – prática que, na altura, era comum na África.

Previous post

Será que os genes influenciam o nosso sucesso escolar?

Next post

Como erradicar a malária de Moçambique? Apostando num compromisso político consistente e global

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *