Cultura

22 de Julho, aniversário da Conexão Lusófona: que venham mais cinco!

“Eu não pertenço a nenhuma das gerações revolucionárias. Eu pertenço a uma geração construtiva.”

 

E já passaram 5 anos! Cinco anos desde que esbarrámos nesta frase do Almada Negreiros e decidimos dar forma a uma convicção e a uma vontade que já existia, há algum tempo. Desde a constituição da Conexão Lusófona “arregaçámos as mangas” e pusemos as “mãos à obra”. Tornou-se imperioso “fazer acontecer”, pois estava em causa o legado da nossa geração.

 

Foi um processo lento. Até Dezembro de 2010, vivemos um período de maturação interna, de definição de pensamento estratégico, de áreas de intervenção, projetos e papéis. Também desde essa data, começámos a recolher ideias e opiniões no seio da Comunidade. No fundo, o tempo de incubação necessário, que culminou no lançamento oficial da Conexão Lusófona na Casa da Morna, em Lisboa, sob o olhar atento e orgulhoso do nosso primeiro padrinho cultural, o conceituado cantor e músico cabo-verdiano, Tito Paris, ainda hoje um grande amigo e apoiante da nossa causa. Muitos a ele se juntaram e, desde aí,  nós nunca mais parámos. O caminho tem sido desafiante e incrivelmente recompensador.

 

Mas que linda aventura esta da NOVA LUSOFONIA!

 

 

Lembranças do lançamento junto ao Tito Paris :)
Lembranças do lançamento, com o nosso primeiro padrinho cultural Tito Paris 🙂

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com uma Organização nas mãos, estruturámos um projeto, com objetivos e metas concretas e, inevitavelmente, suportámo-nos em alguma racionalidade e burocracia. No entanto, não deixámos de ser sonhadores, poetas e irremediavelmente… boémios.

 

Ser da família Conexão é ser assim. A Conexão sempre foi um misto de irreverência, sentido de missão e responsabilidade.

 

Quando este grupo surgiu, na ponte universitária entre Lisboa e o Rio de Janeiro, já as conversas acesas davam origem a muitas reflexões, dúvidas e soluções, e iam ganhando a forma de tertúlias atípicas, onde o debate e o baile se fundiam calorosamente pela noite dentro. No dia seguinte, propostas no papel e lá estávamos nós a fazer as coisas acontecer!

 

No fundo, caracteriza-nos esta responsabilidade e este ecletismo, acompanhados de uma boa dose de loucura, ousadia e coragem. Passaram 5 anos e continuamos por aqui e por aí, espalhados pelo mundo, abrangentes, orgulhosamente juntos.

 

Temos ultrapassado muitas dificuldades. O conceito é novo (o que é isso de Nova Lusofonia?), e já vem marcado pelo passado, com um entendimento que não se reflete na nossa vivência. A metodologia também é nova, tanto a nível interno, como a nível externo, pondo em causa os processos e as formas tradicionais de comunicar, trabalhar, intervir na sociedade. Por fim, ganhar a confiança dos decisores e de quem tem a capacidade para tomar as opções relevantes, parece por vezes impossível.

 

Queremos com este texto exaltar e celebrar a nossa persistência, e reconhecer a importância e o mérito de todos os que nos apoiam, inspiram e dão força para seguirmos em frente: músicos, escritores, professores, diplomatas, gestores, empresários, ativistas, políticos, e de uma infinidade de cidadãos (verdadeiros cidadãos), que veem no nosso projeto, a tradução real do seu ideal de Comunidade de língua portuguesa. Eles sabem quem são. Um por um.

 

E se hoje temos uma Missão definida e uma Visão clara de onde queremos chegar, serve também esta data especial para fazer o balanço do impacto da nossa atividade até aqui. Sendo a Conexão Lusófona uma rede global de jovens da lusofonia que trabalha para o desenvolvimento de um sentimento de pertença dos cidadãos, em particular das novas gerações, ao espaço lusófono, percebem-se facilmente as escolhas quanto às principais áreas de intervenção: cultura; formação; política.

 

Na verdade, só temos 3 anos de ação propriamente dita. Desde a primeira atividade, que teve início em 2011, organizámos um Festival de Música Lusófona por 3 vezes, tendo envolvido já mais de 35 artistas e um público de mais de 9000 pessoas; levámos a cabo várias conferências, palestras e debates, sobretudo em universidades; desenvolvemos um site que se vai transformar, dentro de pouco tempo, num grande portal de referência para o mundo lusófono; e temos realizado trabalho de intervenção política, advogando, insistentemente, pela implementação do Plano Estratégico para a Juventude da CPLP 2015 e Além.

 

Há uns tempos, descobrimos esta frase, algures pelo facebook:

 

É engraçado como dia após dia nada muda, mas quando olhas para trás, tudo está diferente.

 

E é tão verdade para nós… Tudo está diferente mas muito ainda está por fazer. Desafios para o futuro?

 

– Novas áreas e novos projetos já estão a ser trabalhados. Muitas surpresas aí virão!

– A nível político, iremos continuar a advogar por novas formas de participação no espaço da CPLP, sobretudo aquelas que procurem envolver as organizações da sociedade civil e em particular os jovens, ressalvando sempre a importância do diálogo de gerações neste processo.

 

Nós cremos que a maior riqueza da lusofonia reside nas pessoas, tão diversas e ao mesmo tempo tão semelhantes, próximas e conectadas (cultural e emocionalmente). Assim, não podíamos terminar este artigo sem destacar o enorme capital humano que constitui também a equipa da Conexão Lusófona.

 

FELIZ ANIVERSÁRIO ao NÓS da Conexão! Jovens empreendedores, dos mais variados perfis, profissionais e académicos, com diferentes percursos sociais, oriundos de vários países de língua portuguesa. Residentes na CPLP mas também na nossa gigante diáspora internacional.

 

A internet liga o que o mar separa.

 

Somos por isso uma rede. Trabalhamos e socializamos neste incrível mundo digital: é raro o dia em que não trocamos mensagens de email, facebook, whatsapp, gchat, skype… Em português e com crioulo à mistura! No entanto, há coisas que a internet não permite, como sentir o calor daquele abraço de irmão, ou o cheiro daquela cachupa de domingo, ir aos fados, ou sair para treinar o sambinha no pé e riscar o salão com aquela passada de forró! Por isso, sempre que possível estamos juntos para os nossos debates, para os nossos convívios (e que convívios!).

 

É também raro o dia em que não recebemos uma mensagem a elogiar o nosso trabalho ou de alguém a manifestar o seu interesse em fazer parte desta Conexão. Isso deixa-nos muito felizes e realizados. São reconhecimentos de mérito que nos enchem o coração e nos dão energia para continuar!

 

Assim, é fundamental para os próximos anos, continuarmos a apostar no potencial das nossas pessoas, motivando quem está, e incentivando mais lusófonos a juntarem-se a nós, promovendo uma cultura organizacional responsável mas ao mesmo tempo descontraída e descomplexada… Numa palavra: única!

 

É este o nosso jeito de fazer e estar numa Nova Lusofonia.

 

PARABÉNS à Conexão!

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.