BrasilCulturaPaíses

Alunos de Belas Artes da UFRJ apresentam esculturas feitas de lixo, na Semana Nacional do Meio Ambiente

(Imagem:Tânia Rêgo, Agência Brasil)

Iniciou-se esta segunda-feira a celebração da Semana Nacional do Meio Ambiente, no Brasil. O Parque Tecnológico da Universidade Federal do Rio de Janeiro foi o local escolhido pelos alunos e professores do curso de belas artes para albergar a exposição “O Mar não tá pra peixe”. As peças foram feitas com lixo recolhido da Baía de Guanabara, com o intuito de chamar a atenção para os despejos de resíduos tóxico no mar.,

Anunciado pelo governo municipal e estadual como principal legado dos Jogos Olímpicos de 2016, a despoluição da Baía de Guanabara ainda não é uma realidade: faltando um pouco mais de um ano para as provas, o lixo e os esgotos continuam em acumulação nas águas.

A exposição “O Mar não tá pra peixe” pode ser visitada durante toda a semana no Parque Tecnológico da Ilha do Fundão, juntamente com a mostra “Memórias do Boto”, onde esculturas de botos retratam a tradição e história do Rio de Janeiro.

Dentro da programação da Semana Nacional do Meio Ambiente irá haver uma oficina de construção de objetos através de bambu a realizar-se hoje (dia 2), e na quarta-feira (dia 3) será realizado o painel Baía Guanabara, com indicadores de qualidade, juntamente com um workshop para criação de hortas urbanas.

961892-esculturas_lixo_urfj-5
(Imagem: Tânia Rêgo, Agência Brasil)
961889-esculturas_lixo_urfj-2
(Imagem: Tânia Rêgo, Agência Brasil)
regata-retira-lixo-da-baia-da-guanabara-no-Rio-de-Janeiro-201404300003
(Imagem: Tomaz Silva, Agência Brasil)

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.