Cultura

Bailarinos lusófonos em competição no Prix de Lausanne

 

O concurso teve início no dia 31 de Janeiro e nele participam sete bailarinos lusófonos e uma bailarina japonesa, aluna da Escola de Dança do Conservatório Nacional (EDCN), em Lisboa.

 

A 44ª edição do Prix de Lausanne que vai até 7 de Fevereiro é realizada na Suíça. Foram selecionados 74 jovens bailarinos finalistas de 20 países, após uma avaliação de 292 candidaturas de 36 países.

 

O Prix de Lausanne, gerido pela Fondation en Faveur de l’Art Chorégraphique, é aberto a jovens bailarinos dos 15 aos 18 anos, e tornou-se conhecido por ser um dos mais exigentes concursos de dança a nível mundial, para estudantes em fase final de formação.

 

Do grupo lusófono selecionado, vão competir, de nacionalidade portuguesa, Alexandre Joaquim, da Escola da Companhia de Dança do Algarve, e Margarida Canto e Castro Trigueiros, aluna da Tanz Akademie Zurique (Academia de Dança de Zurique).

 

De nacionalidade brasileira competem João de Mattos Menegussi (Academia de Dança de Zurique), Marcos Vinicius de Souza Silva (Escole Superieure de Danse de Cannes Rosella Hightower), Davi Ramos (Lyceu Escola de Dança, Rio de Janeiro), Carolyne de Freitas Galvão (Instituto Basileu França, Goianas, Brasil) e Eric Figueiredo Amâncio (Escola de Dança Fundação Porto Real, em Nova Colónia Porto Real, no Estado do rio de Janeiro).

 

O júri desta edição do Prix de Lausanne será presidido por Julio Bocca, diretor do Ballet Nacional Sodre, Montevideo (Uruguai), e composto por Jan Broeckx, diretor do Ballett-Akademie an der Hochschule für Musik und Theater München (Academia de Altos Estudos em Dança e Teatro de Munique, Alemanha), e Lucinda Dunn, ex-bailarina principal do The Australian Ballet.

 

Também fazem parte do júri Viviana Durante, ex-primeira bailarina do Royal Ballet, Reino Unido, o brasileiro Marcelo Gomes, bailarino principal do American Ballet Theater, Luca Masala, diretor da Princess Grace Academy, no Mónaco, Elisabeth Platel, diretora da Paris Opera Ballet School, Nikolai Tsiskaridze, diretor da Vaganova Ballet Academy, de São Petersburgo, Rússia, e Ruheng Zhao, diretor artístico do National Center for the Performing Arts, da China.

 

Na competição do ano passado, o bailarino português Miguel Pinheiro foi um dos vencedores da final, conquistando uma das seis bolsas de estudo atribuídas pelo Prix de Lausanne.

 

 

Leya

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.