AngolaPolítica

CPLP será um dos observadores internacionais das eleições gerais de 2017 em Angola

Leya

 

O próximo ano será um ano marcante para Angola e os angolanos, pois haverá eleições gerais e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) demonstrou a firme convicção que integrará o grupo de observadores internacionais que irá monitorar o escrutínio.

 

Murade Murargy, secretário-executivo da organização, confirmou que todas as diligências estão sendo feitas, inclusive conta com a cimeira de Brasília com a data ainda por definir para encetar esforços no que toca a angariação de recursos financeiros. Saliente que por razões financeiras, a CPLP não enviou observadores para acompanhar as eleições presidenciais em São Tomé e Príncipe.

 

– Vamos fazer todos os possíveis para quem estiver aqui como secretário executivo garantir que a CPLP esteja presente – declarou em entrevista à DW em português.

 

A organização manifestou que não será possível cobrir todo o território angolano, levando em consideração que o número de observadores é similar aos Estados-membros que compõem a organização, firmando assim a intenção de somente cobrir as áreas com maior impacto, locais e cidades mais importantes, reforçando que haverá muitas outras organizações internacionais seguindo o processo.

 

O actual secretário-executivo da Comunidade mostrou-se inclusive disponível a liderar o processo.

 

– Se me convidarem para ser o chefe da delegação da CPLP, vou aceitar com todo o gosto – pontuou.

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.