ArteSustentabilidade

Dois mil euros para a foto que melhor ilustrar os efeitos das alterações climáticas em Portugal

2 min

As alterações climáticas estão na ordem do dia e a EcoVerney quer honrar o compromisso de documentar a situação portuguesa. Para isso, o movimento ecológico da Escola de Ciências e Tecnologia da Universidade de Évora criou, em parceria com a Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central, (CIMAC) um concurso chamado Phenomena, cujas candidaturas estão abertas até dia 22 de abril (2019). O objetivo é fotografar os efeitos do flagelo climático em Portugal e, para os dois vencedores, há três mil euros em prémios como recompensa.

 

As fotografias podem e devem ser criativas, mas manipulações digitais não são permitidas. Esta regra fundamenta-se no desejo de ver captado o estado puro do que estiver do outro lado da lente. Contudo, a abordagem também pode ser mais artística e concetual, recorrendo a metáforas, por exemplo. O mais importante é que a imagem incite à reflexão sobre a situação do planeta e as consequências que esta apresenta a nível nacional.

 

Para concorrer basta ser de nacionalidade portuguesa. Cada participante pode submeter entre uma a duas fotografias, a cor ou a preto e branco. É  de realçar, também, que a data da entrega das imagens não foi escolhida ao acaso. No dia 22 de abril assinala-se o Dia Mundial da Terra, uma celebração do nosso planeta, cujas condições de habitat se estão a perder.

 

Os vencedores serão anunciados até ao dia 31 de maio. O primeiro classificado irá receber dois mil euros; o segundo, terá direito a mil. Além disso, as 25 a 30 melhores fotografias farão parte de uma exposição itinerante, a acontecer primeiramente no Alentejo. A seleção das imagens será feita pelo painel do júri, constituído por sete especialistas da área da fotografia e da investigação.

 

Painel do Júri

Miguel B. Araújo, Investigador-Coordenador no âmbito das Alterações Climáticas e titular da Cátedra da Biodiversidade Rui Nabeiro da Universidade de Évora;

 

Maria do Mar Rêgo, artista fotógrafa;

 

Luís Aniceto, fotógrafo e docente no Instituto Português de Fotografia (IFP);

 

Vítor Cid, fotógrafo e docente no IPF;

 

Maria Teresa Batista, Chefe da Unidade de Ambiente e Desenvolvimento da CIMAC;

 

Jorge Pulido Valente, coordenador do Fórum para as Alterações Climáticas no Alentejo;

 

Maria Ilhéu, coordenadora do ecoVerney e Docente-Investigadora da Universidade de Évora.

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.