MoçambiquePolítica

Igreja Católica: conflito moçambicano não se resolve com a recolha de armas

A Igreja Católica em Moçambique diz que o anúncio do cancelamento do desarmamento compulsivo do maior partido da oposição, Renamo, significa que o Governo está a pouco e pouco a convencer-se de que a situação que se vive no país é muito complicada e não se resolve com a simples recolha de armas.

 

O Presidente moçambicano Filipe Nyusi determinou recentemente o fim do desarmamento compulsivo da Renamo em curso e voltou a dizer que está disponível para falar com quer que seja de modo a restabelecer o diálogo no país.

 

O bispo auxiliar de Maputo Dom Carlos Nunes diz que a Igreja Católica sempre esteve convencido de que o conflito em Moçambique não se resolve apenas com a recolha de armas.

 

“É complexo, e para além de questões meramente políticas, tem também a ver com a forma como se organiza a sociedade e se faz a distribuição da riqueza nacional”.
— Dom Carlos Nunes

 

Calton Cadeado, especialista em Relações Internacionais e questões de conflito no Instituto Internacional de Relações Internacionais de Moçambique, diz que a mensagem do Chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi tem alvos principais, nomeadamente, as forças de defesa e segurança, Renamo, o povo de Moçambique e a comunidade internacional.

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.