AngolaBrasilCabo VerdeCulturaGuiné-BissauMoçambiquePaísesPortugalSão Tomé e PríncipeTimor-Leste

Lisboa recebe o primeiro Festival da Lusofonia

É já esta quarta-feira que tem início o Festival da Lusofonia de Lisboa, evento inédito que tem como objetivo valorizar a realidade multicultural da capital portuguesa.

Gastronomia, música, moda, exposições, cinema, dança, literatura, debates, festa e muita animação estão prometidas ao longo da programação, que irá de 20 a 25 de maio.

festivalLUSOFONIA

A programação resulta de uma ação conjunta entre a Câmara Municipal de Lisboa, a Conexão Lusófona e a União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA), e conta com a participação de diversas associações lisboetas provenientes do espaço da lusofonia.

As várias organizações que se associaram à iniciativa irão promover múltiplos eventos, como por exemplo uma mostra do Património Imaterial da Humanidade dos países lusófonos. Está ainda prevista uma exposição de pintura e escultura na Junta de Freguesia da Misericórdia- Espaço Santa Catarina.

Clique aqui para ver a programação completa

Um dos destaques da programação é a segunda edição da festa Noites da Conexão em comemoração ao Dia de África (dia 23, no Clube Ferroviário), que promoverá um rico intercâmbio entre as culturas lusófonas e africanas.

O Festival da Lusofonia de Lisboa terminará com a homenagem à Casa dos Estudantes do Império (25 de maio), que a UCCLA irá promover na Fundação Calouste Gulbenkian, e que contará com a presença dos antigos associados que exerceram funções de Presidente da República ou Primeiro-Ministro, como Fernando França Van Dúnem (Angola), Joaquim Chissano (Moçambique), Jorge Sampaio (Portugal), Mário Machungo (Moçambique), Miguel Trovoada (São Tomé e Príncipe), Pascoal Mocumbi (Moçambique) e Pedro Pires (Cabo Verde).

Durante a coletiva de imprensa que divulgou a programação da semana, o vereador Carlos Manuel Castro sublinhou que o evento que se aproxima é “um casamento feliz” por permitir dar a conhecer muitas das associações de imigrantes do espaço lusófono presentes em Lisboa, “fortemente ativas na nossa sociedade”, ao mesmo tempo que se mostra a “dimensão internacional da lusofonia”. Este “projeto cultural da língua comum” é tanto mais relevante porquanto este ano se cumprem os 40 anos das independências da maioria dos países lusófonos, outra vertente da “história que nos une”, concluiu Carlos Manuel Castro.

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.