BrasilPaísesSociedade

Número de negros em universidades brasileiras cresceu 232% na última década

(Imagem: Reprodução Exame)

Mais da metade da população brasileira se declarou negra, preta ou parda no Censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2010. Mas este número não se reflete nas salas de aula das universidades brasileiras: apenas 26 em cada 100 alunos das universidades do país são negros.

Apesar de ainda muito inferior, o acesso da população negra ao ensino superior aumentou 232% na comparação entre 2000 e 2010. Os dados constam no infográfico “Retrato dos Negros no Brasil” feito pelo portal Rede Angola.

Outro aspecto apontado pelo site angolano é que para cada R$100 ganhos por um branco, um homem negro, com a mesma formação e na mesma função, recebe R$57,40. No caso de uma mulher negra, o salário cai para R$38,5.

Segundo o Geledés Instituto da Mulher Negra, o aumento no acesso à formação universitária reflete as políticas afirmativas implementadas pelo governo nos últimos anos, em resposta às reivindicações históricas do movimento negro no país, mas os dados apontam o gargalo ainda existente: de cada cem formados, menos de três (2,66%) são pretos, pardos ou negros.

Veja abaixo a infografia completa:

 

info_redeangola_red

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.