DesportoPortugal

O dia dos mortos mostrou que o ténis português está vivo e de boa saúde

Três continentes, três torneios, três tenistas, três categorias, três vitórias. Assim se escreveu aquele que é possivelmente o dia mais vitorioso de sempre do ténis lusitano fora de portas.

 

O vimaranense João Sousa foi o principal destaque do dia, ao vencer o Torneio ATP250 de Valência, em Espanha, e ao consolidar-se como melhor tenista português de todos os tempos e 33º do ranking ATP. Na final, o português derrotou o Roberto Bautista Agut, espanhol que competia em casa, pelos parciais de 3-6, 6-3 e 6-4. Esta é a segunda vez que o tenista conquista um torneio ATP, sendo que a primeira foi em Kuala Lumpur, na Malásia.

 

Na América do Sul, no Perú, Gastão Elias bateu o eslovaco Andrej Martin por -2 e 7-6 (7-4) e triunfou no challenger de Lima.

 

Já o ‘benjamin’ Frederico Silva foi até ao Egito para arrebatar a vitória no future de Sharm El Sheikh. Na final o português levou de vencido o egípcio Marko Tepavac por 7-5 e 6-3, conquistando assim o seu primeiro trofeu internacional.

 

Vasco Costa, Presidente da Federação Portuguesa de Ténia definiu o dia de ontem como “um dos melhores dias do ténis português, se não o melhor de sempre. Este domingo vai ficar na história”.

 

Para além dos três tenistas também Mariana Alves arbitrou a final do Master Feminino de Singapura vencido pela polaca Agnieszka Radwanska.

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.