AngolaSaúde

Seca deixa quase 100 mil crianças angolanas em desnutrição aguda grave

Leya

 

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) alerta que quase 100 mil crianças angolanas sofrem de desnutrição aguda grave devido à seca que afecta sobretudo o sul do país. Leila Pakkala, directora da Unicef para África austral e oriental está de visita ao país e divulgou esses dados, demonstrando abertura para reforçar o apoio humanitário.

 

A visita que servirá para a Unicef inteirar das acções de apoio ao Governo no que concerne às implementações de resposta à epidemia de febre-amarela – e consequências nas crianças – bem como ao impacto das alterações climáticas no sul do país, num momento que estima-se que mais de 756 mil crianças estejam afectadas pela seca no país, provocada pelo fenómeno ‘El Niño’, das quais, mais de 95.877 sofrem de desnutrição aguda grave segundo o comunicado enviado à Lusa.

 

Segundo o Diário Digital, a Unicef tem um sido grande parceiro do governo no auxílio nas províncias mais afectadas com intervenções no sector da saúde e nutrição, água e saneamento, incluindo a reabilitação de bombas manuais, o fortalecimento do saneamento rural com a extensão do programa de Saneamento liderado pela Comunidade (STLC).

 

Toda estas mobilizações de meios financeiros têm sido cruciais para a aquisição de insumos para fazer face à seca e no co-financiamento para aquisição da vacina contra a febre-amarela em Angola.

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.