MoçambiqueSociedade

FAO minimiza os impactos da seca em Moçambique

Segundo o Programa das Nações Unidas para Alimentação (FAO), serão mais de 30 mil famílias que poderão se beneficiar de um apoio que visa minimizar a devastadora seca que se abate sobre Moçambique desde 2015. Estima-se que mais de 1,5 milhão de pessoas se encontrem em situação de insegurança alimentar devido à seca que se registou no sul e centro de Moçambique em 2016, por força do fenómeno climático El Niño mais forte das últimas décadas, e que atingiu outros países da África Austral.

 

O programa Assistência de Emergência para a Contenção dos Efeitos da Seca já decorre em coordenação com o Ministério da Agricultura e Segurança Alimentar (MASA), nas províncias de Gaza, sul de Moçambique, Manica, Sofala e Tete, centro, e beneficia entre 75% e 80% do grupo de agricultores envolvidos.

 

O programa integra três projectos e visa “reduzir a dependência alimentar das famílias assoladas pelas mudanças climáticas”, através da distribuição de sementes de milho, feijão vulgar e abóbora, e ainda pulverizadores e herbicidas aos pequenos agricultores mais afectados naquelas províncias.

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.