BrasilSaúde

Tudo sobre o mel

O mel deve estar nas prateleiras dos alimentos e não no armário dos medicamentos, sendo consumido com frequência
— tuasaude.com

O mel possui em sua composição, mais de 70 substâncias que são essenciais ao nosso organismo, tais como: água, sacarose, frutose,  potássio, glicose (carboidratos),  cobre, ferro, sódio, enxofre, fósforo, selênio, cloro, cálcio, zinco, magnésio, vitaminas do complexo B, vitaminas A, E, C e alguns tipos de aminoácidos (proteínas).

A inclusão do mel na dieta é uma inteligente decisão para que os benefícios desse poderoso alimento sejam usufruídos e sua saúde beneficiada amplamente! Como por exemplo, ao se trocar o açúcar pelo mel, além de estar substituindo uma substância nociva à saúde, o mel ainda tem menos calorias e inúmeros nutrientes! Veja: em uma colher de chá de açúcar tem cerca de 40 calorias, já a mesma quantidade de mel, tem apenas 25 calorias! Como o mel é fonte de energia e possui esse poder adoçante duas vezes maior do que o açúcar, é ótima escolha para o café da manhã, sendo adicionado a sucos, frutas,etc.

 

CURIOSIDADES SOBRE O MEL

Os primeiros registros do consumo do mel datam do ano 5 500 antes de Cristo, no antigo Egito.

O mel é citado na Bíblia, no Alcorão e nos Vedas indianos. Segundo o Antigo Testamento, os hebreus buscavam a terra prometida onde corria leite e mel após deixarem o Egito.

Enquanto na Europa e Estados Unidos o consumo médio de mel supera 1 quilo por habitante, no Brasil não passa de 300 gramas por ano.

A expressão lua-de-mel veio de um antigo costume irlandês da Idade Média. Era comum naquela época que os noivos bebessem um líquido composto de levedo, malte, água e mel durante um mês, o que dava uma lua completa ou uma “lua de mel”.

Cada abelha produz em média 5 gramas de mel por ano. Para produzir um quilo de mel, as abelhas têm de visitar cinco milhões de flores.

 

BENEFÍCIOS DO CONSUMO DIÁRIO DE MEL:

Bom para dor de garganta: Sua avó estava certa! Como o mel possui ação antimicrobiana, capaz de impedir o crescimento ou destruir micro-organismos, ele é interessante para aliviar a dor de garganta momentaneamente. Mas é importante ressaltar que não há nenhum estudo científico comprovando que ele trate as causas desse sintoma, como uma faringite por exemplo, e nem a evolução da doença relacionada a uma dor de garganta.

As características deste adoçante natural que fazem com que ele tenha esta ação antibiótica são: o baixo ph, proporcionando um ambiente ácido que pode inibir o desenvolvimento de muitos micro-organismos, pouca quantidade de água, que não proporciona condições favoráveis para o crescimento das bactérias. Além disso, o mel possui o ácido glucônico que contribui para a formação do peróxido de hidrogênio, um poderoso antibactericida.

Bom para problemas respiratórios: Pesquisas mostraram que bactérias causadoras de algumas doenças são sensíveis a ação antibacteriana do mel. Entre esses micro-organismos estão a Haemophilus influenzae, responsável por infecções respiratória e sinusites, Mycobacterium tuberculosis, que leva a tuberculose, Klebsiella pneumoniae e Streptococcus pneumoniae, que causa a pneumonia. Nesse caso, vale a mesma ressalva em relação à dor de garganta. O mel pode ajudar aliviando os sintomas e o desconforto, mas não promove a cura da doença em si. O tratamento dessas doenças, portanto, deve ser indicado por um especialista.

Vale associar este alimento com o própolis, substância complexa coletada e transformada por abelhas e que possui flavonoides. Os flavonoides apresentam propriedades antibactericida, sendo também um coadjuvante no camba à doenças do trato respiratório.

Bom para o intestino: O mel pode ser um importante aliado na manutenção da microbiota intestinal (conhecida como flora intestinal), que são bactérias benéficas que carregamos ali. Contribuindo assim para um melhor trânsito intestinal, a consistência normal das fezes, prevenção de diarreia e constipação.

Com a microbiota boa, quando a pessoa consumir fibras as bactérias do bem transformam as fibras em ácidos graxos de cadeia curta, que impedem que os micro-organismos ruins do intestino invadam a corrente sanguínea e se espalhem pelo nosso corpo, criando uma defesa indireta.

Todos estes benefícios ocorrem porque ele possui carboidratos não digeríveis e oligossacarídeos que são prebióticos, ou seja, contribuem para a manutenção da microbiota intestinal. Além disso, pesquisas mostraram que bactérias causadoras de algumas doenças são sensíveis a ação antibacteriana do mel. Entre esses microrganismos estão: Escherichia coli, causadora de diarreia e infecções urinárias e Salmonella species, que pode levar a diarreia.

Bom para pele: O mel é rico em antioxidantes, como ácidos fenólicos, os flavonoides e os carotenoides. Por isso, o alimento contribui para a diminuição dos radicais livres e assim previne o envelhecimento precoce e contribui para a pele mais bonita e saudável. O produto pode ser ingerido ou utilizado em cosméticos como sabonetes e cremes.

Ao ser passado na pele algumas pesquisas, entre elas uma da Universidade de Ouagadougou de Burkina Faso, observaram que ele pode agir como cicatrizante de feridas e em casos de úlceras, queimaduras e abscessos na pele. Os micro-organismo staphylococcus aureus e salmonela typhimurium, ambos causadores de infecções em ferimentos, são sensíveis a ação antibacteriana do mel.

Ação antioxidante: Isto faz com que o mel ajude a diminuir os radicais livres e assim contribua para evitar o envelhecimento celular, proporcionando uma pele mais bonita e saudável e prevenindo doenças como o Alzheimer, cardiovasculares, entres outras.

As substâncias presentes no alimento que proporcionam este benefício são: ácido glucônico, os ácidos fenólicos, os flavonoides, certas enzimas, como a glicose oxidase, catalase e peroxidase, ácido ascórbico, hidroximetilfurfuraldeído e carotenoides.

Diminui os riscos de infecção urinária: Alguns estudos apontaram que bactérias causadoras de certas doenças são sensíveis a ação antibacteriana do mel. Entre esses microrganismos estão a streptococcus faecalis, proteus species e pseudomonas aeruginosa, todas elas podem causar a infecção urinária.

Melhora o sono e ajuda a relaxar: O mel estimula a produção de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de prazer e bem-estar. O alimento é um carboidrato fonte de triptofano, um aminoácido precursor da serotonina, que é o hormônio responsável por baixar os níveis de estresse do organismo, melhorando o bem-estar. Ele também tem uma função importante como regenerador da microbiota intestinal, quando combinado aos lactobacilos presentes no intestino. Sabe-se que mais de 90% da serotonina é produzida no intestino, portanto o alimento ajuda a manter a integridade intestinal colaborando com uma melhor regulação neuro-endócrina, com mais serotonina e mais disposição e sensação de prazer.

 

Mel para a saúde:
  1. Combate a prisão de ventre, pois ajuda o intestino a se movimentar;
  2. Combatea má-digestão e úlceras gástricas, porque tem enzimas que facilitam a digestão;
  3. Alivia bronquite, asma e dor de garganta, pelas suas características antibióticas e anti-sépticas​;
  4. Mel com própolis: alivia sintomas de faringite, amigdalite, gripe e resfriado. O própolis funciona como antibacteriano, antifúngico, antiviral, estimulador do sistema imunológico, cicatrizante e regenerador de tecidos;
  5. Mel com canela: combate a má-digestão, que pode ocorrer após uma refeição rica em gorduras. Uma boa dica é fazer um chá e adicionar um colher de chá de mel com canela para facilitar a digestão.
  6. Mel com limão: previne o aparecimento de gripes e resfriados, pois o limão tem vitamina C que fortalece o sistema imunológico.

 

Receitas à base de mel do maravilhoso Blog Remedio Caseiro:

 

Bruschetta de ricota e mel

Ingredientes

– Pão italiano torrado e cortado em fatias médias;
– Ricota fresca;
– Raspas de um limão;
– Um punhado de manjericão fresco;
– Mel a gosto.

Modo de Preparo

Com ajuda de uma vasilha, misture a ricota com as raspas de limão. Feito isso, separe todas as torradas em uma forma e cubra-as com a ricota misturada com raspas de limão. Adicione as folhas de manjericão e, por último, acrescente o mel por cima. A receita deve ser servida como petisco ou entrada.

 

Bolo com Nozes e Mel

 

Ingredientes

– 3 ovos;
– 1 xícara de açúcar mascavo;
– 150 g de manteiga;
– 1 xícara de leite;
– 1 xícara de mel;
– Meia xícara de farinha de trigo branca;
– 1 xícara de farinha de trigo integral;
– Meia xícara de aveia;
– 2 colheres (de sopa) de linhaça;
– Nozes picadas a gosto;
– 1 colher (de sopa) de fermento.

Modo de preparo

Com ajuda de uma batedeira, bata as claras em neve e reserve. Em outra vasilha, junte a manteiga, as gemas, o açúcar mascavo e o mel. Depois de bater bem esse ingredientes, acrescente os ingredientes sólidos aos poucos: as farinhas, aveia e linhaça. Intercale com o leite e continue batendo. Por último, acrescente o fermento e as claras em neve. Quando for misturar as claras em neve, use uma colher de madeira com movimentos leves para aerar a massa.

A última fase do preparo da receita é acrescentar as nozes picadas. Aproveite para misturá-las com a mesma colher de pau. Despeje a massa sobre uma forma untada e leve ao forno pré-aquecido a 220°, para assar por aproximadamente 40 minutos. Esse tempo de preparo vai depender da potência do seu formo. Para certificar de que a massa está no ponto, espete-a com uma faca ou um palito de madeira, até sair limpo.

 

Picanha com mel

Ingredientes da carne

– 1 kg de picanha;
– 1 cebola ralada;
– 3 dentes de alho amassado;
– Suco de 1 limão;
– Meia xícara de chá de molho shoyo;
– Meia xícara de chá de conhaque;
– 2 colheres (de sopa) de mel;
– Gengibre ralado a gosto;
– Cheiro verde a gosto;
– Pimenta-do-reino a gosto.

Ingredientes do molho

– 1 cubo de caldo de carne;
– 1 colher (de sopa) de manteiga;
– 1 vidro de leite de coco;
– Cheiro verde a gosto.

Modo de preparo

Em uma tigela coloque o molho shoyo, mel, conhaque, gengibre, alho, cebola, pimenta e misture bem. Feito isso, você vai pegar a carne e misturar nesse tempero. Deixe-a descansar por cerca de 30 minutos. Passado esse tempo, coloque a carne em uma assadeira grande o suficiente para acomodar toda a carne e cubra com papel alumínio. Leve para assar em forno alto e vá virando aos poucos para que ela asse igualmente.

Para preparar o molho, você vai precisar de uma panela com tampa. O primeiro ingrediente a ser colocado é a manteiga, depois, assim que derreter, acrescente os demais ingredientes e deixe ferver por cinco minutos. Quando a carne estiver assada retire da forma e fatie. Coloque em uma travessa e, por cima, jogue o molho. Para finalizar, polvilhe o cheiro verde e sirva.

Biscoito de aveia e mel

Ingredientes

– 1 ovo;
– 1 colher (de sopa) de manteiga derretida;
– Meia xícara de açúcar demerara;
– 1 xícara de aveia;
– 1 xícara de farinha de trigo;
– 2 colheres (de sopa) cheias de mel;
– 1 colher (de chá) de fermento em pó.

Modo de preparo

Com ajuda de uma vasilha, misture todos os ingredientes secos. Feito isso, acrescente os demais até que todos estejam bem misturados. Molde em formato de bolachinhas e enfileire todos em um forma untada com manteiga. Lembre-se de deixar um espaço entre eles, pois o fermento fará com que eles cresçam um pouco. Leve ao forno para assar num intervalo de 15 a 20 minutos.

Contraindicações do mel

O mel é um alimento contra-indicado em algumas situações como:

  • Crianças menores de 1 ano de idade: Até primeiro ano de idade como o sistema digestivo da criança pode não estar completamente desenvolvido e maduro não se defendendo assim de forma eficiente de corpos estranhos. Existe até o primeiro ano de vida e a possibilidade de intoxicações graves com uma bactéria encontrada comumente no mel chamada Clostridium boltulino.
  • Diabéticos: Os diabéticos devem evitar o mel, pois possui muito açúcar simples que eleva rapidamente a glicemia do sangue. O açúcar do mel é um dos tipos de carboidrato que o diabético deve evitar.
  • Alérgicos: Pessoas sensíveis com tendência a alergias podem desenvolver reações alérgicas manifestando mal estar gástrico e até dor de estômago, devido aos grãos de pólen presentes no mel.

Apesar destas contra-indicações ao uso do mel, e graças ao seu potencial terapêutico, o mel deve estar nas prateleiras dos alimentos e não no armário dos medicamentos e consumido com frequência desde que não exista contra-indicação.

 

 

Fontes:

Remédio-caseiro.com

Maiorcuriosidade.com.br

tuasaude.com

minhavida.com.br

 

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.