CulturaPortugal

Um dos maiores festivais artísticos do mundo terá obra portuguesa pela primeira vez

2 min

A obra chama-se “O Nome da Rosa” e é da autoria do dramaturgo Nuno Paulino e da sua companhia de teatro de rua, Artelier?. Burning Man é o festival que a vai acolher, sendo esta a estreia da representação portuguesa no evento. A peça estará, portanto, em exibição no deserto do Nevada, Estados Unidos da América (EUA), onde Burning Man toma lugar.

 

O projeto português apresenta uma estética mais pensada para a exibição noturna. Respeita o conceito do festival, trabalhando elementos como o fogo e a luz. Cumpre também o propósito de enfatizar as fontes de energia utilizadas, mostrando as potencialidades de opções mais sustentáveis e alternativas. Embora Nuno Paulino seja a mente que idealizou a peça, esta tomou forma através das ilustrações de José Baetas. Pode ver o vídeo da instalação aqui.

 

Além de constar como instalação no festival, “O Nome da Rosa” foi agraciado com a Honoraria Grants, prémio que distingue as criações mais virtuosas de Burning Man. Atualmente, está a decorrer uma campanha de crowdfunding gerada por Nuno Paulino e a Artelier?. O objetivo passa pela angariação de fundos, a fim de garantir os custos de transporte da peça e da instalação até aos EUA. O festival cobre cerca de nove mil euros, contudo, as estimativas de custos para o projeto português rondam os 45 mil euros. A autarquia de Loures e a Direção Geral de Artes também são patrocinadores.

 

O evento arranca no dia 25 de agosto (2019) e contou com mais de 800 candidaturas para esta edição. Apenas 62 obras foram selecionadas para integrar o recinto.

 

Burning Man O Festival

O evento estadunidense realiza-se anualmente desde 1986 e, desde sempre, toma lugar no deserto Black Rock. É um festival experimental e social, que funciona em comunidade, e que ganha contornos de retiro. O cenário árido ajuda a toda a cinematografia e a atmosfera é totalmente artística. As exibições são de todo o tipo, muitas vezes de grande dimensão, e o espírito hippie, pacífico e aberto é um ingrediente fortemente reconhecido por quem participa.

 

Uma das muitas curiosidades acerca deste evento prende-se com a cerimónia final, uma espécie de celebração do fim do festival. Há sempre a queimada de uma figura de um homem, o que também é fiel ao nome Burning Man.

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.