AngolaPaísesSociedade

Artistas juntam-se em Luanda e Lisboa para concerto que pede a libertação dos 15 jovens detidos

(Imagem: Reprodução redeangola)

Ontem pelas 16h00, no Centro Cultural Elinga Teatro, em Luanda, vários artistas e grupos populares entre a juventude angolana juntaram-se para integrarem a campanha “Liberdade Já”, a favor do grupo de 15 jovens ativistas detidos desde junho por suspeita de prepararem um golpe de Estado.

O dinamizador do concerto afirmou à agência Lusa que “Ninguém faz golpes de Estado com ‘pen-drives’ e computadores material apreendido aos ativistas detidos), mas com armas. Toda a argumentação não é sustentável”.

O espetáculo terminou às 22h30 e estiveram presentes a exigir “liberdade já”, a favor deste grupo ativistas, cerca de 200 pessoas.

Os nomes convidados a subir ao palco, em Luanda, foram Abada Capoeira – Zwela Hungu, Laurinda Manuel Gouveia, Manuel Victoria Pereira, MC K, Jack Nkanga, Mona Dya Kidi, Sábio Louko & Ngamba Spoken Word, Pretos Racionais, Sanguinario, Jang Nómada, Emmanuel Pittra, Globo 112, Fat Soldiers, Dinamene entre outros.

Sanguinário e MC K em Luanda (Imagem: Reprodução redeangola)

Em simultâneo, músicos, atores, artistas e agentes culturais também integraram um concerto em Lisboa, pelas 18h00, no Elinga Teatro. O cartaz compôs-se com Alek Rein, Aline Frazão, António Poppe, B Fachada, Bilan, Candidato Vieira, Dino d’Santiago, Dj Satélite, Dj Ricardo, Éme, Kalaf, Hélio Morais, Joaquim Albergaria, Makoto Yagyu, Maio Coopé, Marta Dias, Pedro Sousa, Pega Monstro, Selma Uamusse e Ricardo Pinto, Tiago Sousa e X-Hangué Duo.

aline franzao
Aline Frazão em Lisboa (Imagem: Reprodução v-miopia)

Segundo as autoridades, os jovens que estão aprisionados desde 20 de junho são estudantes e licenciados que estariam a preparar um atentado contra o Presidente José Eduardo dos Santos e outros membros dos órgãos de autoridade, num golpe de Estado, mas ainda não existe qualquer acusação formada.

Os concerto decorrem depois de uma manifestação na passada quarta-feira (dia 29) , em que os ativistas protestaram nas ruas de Luanda para exigir a libertação, terminando com carga policial.

 

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.