CulturaMoçambique

Autores Lusófonos expõem em Maputo

Leya

 

Diversos artistas pertencentes a lusofonia juntaram suas obras em Maputo numa exposição intitulada “Autores Lusófonos” patente no Centro Cultural Português.

 

Esta exposição, que se realizou na capital moçambicana, surge no âmbito do 11º Encontro de Fundações CPLP e mostra obras de diferentes artistas que representam uma geração pós-colonial que construiu a sua obra num ciclo de transformações sofridas pelas novas sociedades independentes.

 

Esta é uma iniciativa da Fundação PLMJ que, desde 2001 apoia a arte portuguesa e dos restantes membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa através de múltiplas acções e projectos.

 

Segundo o curador da exposição, João Silvério, “os artistas dos países lusófonos que integram a exposição propõem-nos discursos que nos questionam sobre temas transversais no mundo em que vivemos. As comunidades de língua portuguesa são a lusofonia enquanto estrutura viva e, por estas, entre outras razões, é um elemento agregador e simultaneamente um espaço aberto ao intercâmbio de ideias num mundo cada vez mais diverso e global onde a língua portuguesa é falada por milhões de pessoas”.

 

Para Silvério, estes artistas expressam através das suas obras “preocupações que estão inscritas no discurso e na linguagem contemporânea em sentido mais lato, mais visíveis e mais incisivas nalguns casos do que noutros, mas essencialmente um reflexo da comunidade contemporânea, das diferenças que constituem as suas memórias, mas também das que revelam e evocam a sua condição enquanto cidadãos do mundo e, sem perder de vista uma linha de horizonte que atravessa culturas diferentes”.

 

Fazem parte do elenco os artistas: Filipa César (Portugal), Celestino Mudaulane (Moçambique), Délio Jasse (Angola), Eugénia Mussa (Moçambique), Filipe Branquinho (Moçambique), Francisco Vidal (Angola), Gonçalo Mabunda (Moçambique), Jorge Días (Moçambique), Kiluanji Kia Henda (Angola), Maimuna Adam (Moçambique), Mário Macilau (Moçambique), Nú Barreto (Guiné Bissau), Rosana Ricalde (Brasil), René Tavares (São Tomé), Yonamine (Angola), Abraão Vicente (Cabo Verde), André Cepeda (Portugal) e Rui Calçada Bastos (Portugal).

 

Desde 2009 a Fundação PLMJ tem delineado o seu percurso em prol da arte contemporânea e, sobretudo, dos artistas emergentes e das novas formas de expressão plástica nos países de língua oficial portuguesa.

 

Para o Sócio Fundador da PLMJ, Luís Sáragga Leal “esta exposição visa dar continuidade à linha programática desenhada pela Fundação nos últimos anos, privilegiando obras de artistas dos países de língua portuguesa. É, ademais, representativa de uma simbologia especial e marcante, porquanto se trata do primeiro evento expositivo conceptualizado pela Fundação para congregar diversos artistas da CPLP”.

 

Leal acrescentou ainda que “a colecção de arte contemporânea da fundação PLMJ tem seguido uma política de aquisições regulares e procura manter um olhar atento as novas propostas estéticas que percorrem, a par da língua que nos une, a experiência global destes artistas que nos trazem novas leituras e perspectivas diversas da criação artística contemporânea”.

 

As mais de 20 obras de diversificadas que incluem fotografias, telas em acrílico, colagens, metais e papel estão expostas no Centro Cultural Português até aos finais deste mês.

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.