BrasilTecnologia

Brasileiro cria invenção para se vingar do telemarketing. E funciona!

Com o objectivo de evitar as persistentes chamadas do tele-marketing, um programador brasileiro de Dourados, Mato Grosso do Sul, inventou um robô determinado a inverter esta embaraçosa circunstância que distrai o trabalhador comum da sua rotina diária.

 

Chama-se Gustavo Porto e decidiu criar um pequeno robô-telefonista programado para “contra-atacar” estas empresas que, durante 2 anos, não pararam de lhe ligar insistentemente para anunciar promoções e fazer cobranças. Gustavo Porto preparou então a sua vingança. As operadoras de tele-marketing estavam prontas a “provar o sabor do seu próprio veneno”.

 

O processo foi, na verdade, muito intuitivo. Gustavo encontrou na Internet o telefone fixo desta empresa e copiou a imagem do seu logótipo. Em seguida, achou um gravador de som que fazia a conversão de texto escrito em voz. Nesse momento, o programador sul-mato-grossense introduziu inúmeras vezes a palavra que mais ouviu neste últimos 2 anos de chamadas diárias frequentes: “Alô”. A vingança estava, assim, prestes a concretizar-se.

 

(Imagem: Reprodução Riachao Net

 

O robô-telefonista criado por Gustavo ligava automaticamente à empresa de tele-marketing a partir do seu telemóvel (celular) de 30 em 30 segundos repetindo sucessivamente esta saudação. No final da vingança, o telemóvel deste programador tinha 185 ligações registadas para a operadora que o incomodou durante todo este tempo.

 

(Imagem: Reprodução Riachao Net

 

Muitos brasileiros podem agradecer a Gustavo Porto a subtileza da sua invenção. Efectivamente, a perseguição montada por estas empresas de tele-serviço no Brasil representam um autêntico flagelo. Entre 2016 e 2017 a agência Reclama Aqui recebeu perto de 1300 queixas de clientes brasileiros a denunciarem a permanência ininterrupta das chamadas do tele-marketing. Só este ano, essas reclamações subiram para quase 2000.

 

Aquilo que Gustavo Porto fez corresponde a uma experiência caseira de uma gravação realizada em estúdio, na qual uma voz humana regista a mensagem que a operadora mais tarde enviará através de múltiplas chamadas a todos os seus clientes. Apenas a título de comparação, estes robôs activados pela Inteligência Artificial são capazes de fazer 900 a 1200 chamadas por dia, ao passo que 2 funcionários apenas conseguem, em igual período de tempo, realizar apenas 200 a 300 chamadas.

 

Teremos, desta forma, no futuro uma batalha robótica entre os interesses publicitários do tele-marketing e o justo sossego do cliente? O futuro está aí.

 

 

 

 

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.