BrasilSustentabilidade

Descobertas duas novas espécies de orquídeas na Amazônia

Leya

 

A proeza pertence ao bolsista do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) Jefferson José Valsko, que fez a descoberta de duas novas espécies de orquídeas, nos arredores de Manaus (Brasil). A orquídea é considerada ornamental e a rainha das flores, estando entre as mais procuradas para presentear, decorar residências e ainda como tempero.

 

Após a descoberta, as orquídeas foram baptizadas de Dichaea bragae e Anathallis manausesis, em homenagem o pesquisador do Inpa Pedro Ivo Soares Braga, já falecido, e que fez importantes estudos sobre a planta na Amazônia.

(Imagem: Jefferson Valsko, Inpa)
Anathallis manausesis (Imagem: Jefferson Valsko, Inpa)

De porte muito pequeno, a Anathallis manausesis é considerada uma das menores orquídeas da Amazônia. A sua flor possui apenas três milímetros de tamanho, as suas folhas têm aproximadamente um centímetro e o caule pode chegar até seis milímetros.

 

Embora o caule e as folhas sejam grandes, a flor da Dichaea bragae mede cerca de cinco milímetros.

“O gênero Dichae está sempre associada aos musgos, por isso é quase imperceptível no meio ambiente. A planta se camufla no tronco das árvores”, explica o pesquisador.

 

(Imagem: Jefferson Valsko, Inpa)
Dichaea bragae (Imagem: Jefferson Valsko, Inpa)

Numa nota publicada pela agência Brasil, Valsko explicou que as orquídeas são importantes para a natureza porque ajudam no ciclo do carbono, por meio da fotossíntese e da respiração. Além disso, elas atraem insectos polinizadores específicos.

 

A equipe de Jefferson José Valsko já havia descoberto nos últimos quatro anos outras três espécies de orquídea na Amazônia: Dichae Diminuta, Dichae fusca e a Anathallis roseopapillosa.

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.