BrasilCulturaPortugalSociedade

Fotógrafo português se isola em tribo indígena brasileira e capta imagens incríveis

A cidade de Barreiro (Portugal) recebe, até janeiro de 2016, a exposição Awá Guajá, do fotógrafo português Daniel Rodrigues, trabalho resultante de um período de três semanas em 2014 em que o fotógrafo esteve a viver em meio à selva acompanhando a rotina desta tribo que está entre os povos mais ameaçados pela destruição das florestas no Brasil.

(Imagem: Reprodução CNN)
(Imagem: Reprodução CNN)

Desviando-se dos retratos formais habitualmente vistos na etnofotografia, as fotografias a preto e branco de Rodrigues estão repletas de uma honestidade que só pode resultar de um pacto amigável com os seus sujeitos. Os Awa claramente confiaram na câmara de Rodrigues, e no trabalho resultante podemos ver claramente quão bem-versado ele se tornou com o estilo de vida dos Awa. A qualidade cinematográfica de algumas imagens nas cenas de caça é um testamento da resistência do fotógrafo e do seu apreço por uma forma de espírito desportivo altamente espiritual“, lê-se num artigo da CNN, que destaca as incríveis imagens captadas por Rodrigues.

(Imagem: Reprodução Facebook)
(Imagem: Reprodução Facebook)

A tribo indígena Awá vive na Floresta Amazônica, no estado brasileiro do Maranhão, dividida em quatro aldeias: Awá, Tiracambú, Juriti e Guajá. Um total de 400 pessoas a viver o mais perto possível da pureza das suas origens. Os dias de caça são longos, mas não poupam ninguém: crianças e mulheres encabeçam também as expedições pela densa floresta. Não há idades certas (a última destas famílias foi descoberta há menos de dez anos), apenas o dia-a-dia da sobrevivência.

 

A ajuda das instituições responsáveis pela sua preservação leva até à comunidade poucas palavras em português, roupas de uma sociedade urbana e raros utensílios para uma vida diária facilitada. Mas o objetivo é ser mais um braço na luta contra a invasão crescente de madeireiros em busca do bem mais precioso da floresta amazónica, das árvores que lhe dão o sobrenome: Pulmão da Terra.

(Imagem: Reprodução Facebook)
(Imagem: Reprodução Facebook)

Ainda em 2014, o trabalho recebeu a distinção da crítica internacional, tendo recebido duas menções honrosas. A primeira, no “Moscow International Photo Awards”, na categoria de “Photo Essay”, e a segunda, no “Photo Contest NDAwards”, na categoria de “Photojournalism/Story”.

 

Sobre Daniel Rodrigues

 

Fotógrafo português que ganhou o primeiro prémio na categoria de “Daily Life” do World Press Photo 2013, com uma fotografia tirada na Guiné-Bissau. Só em 2015, Daniel Rodrigues já venceu 15 concursos. O mais relevante de todos, o POY (Picture of the Year), distinguiu-o como “o terceiro melhor fotojornalista de 2014, a nível mundial”.

 

Informações práticas
Datas: 01 de Novembro a 17 de Janeiro
Local: Auditório Municipal Augusto Cabrita (Piso 1 – Galeria Amarela), em Barreiro

 

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.