PaísesPortugalSaúdeSociedade

Nutri-Ventures, uma aventura portuguesa onde a comida saudável salva o mundo

(Imagem: Reprodução nutri-ventures.com)

Quando falamos a uma criança sobre alimentação saudável a primeira coisa em que pensam é em comer cenouras para ficar com os olhos bonitos ou comer a sopa de espinafres para termos músculos como o Popeye. Infelizmente contudo o interesse quase nunca acaba por se concretizar. Comer hambúrgueres é mais atrativo quando a própria publicidade se torna mais divertida aos olhos dos mais pequenos. Foi nisto que a Nutri Ventures se fundamentou ao criar algo divertido para ajudar as crianças de todo o mundo a ter uma alimentação mais saudável. Um projeto primário Português, exclusivamente dedicado ao tema, atingiu grandes dimensões e foi visto em todo o mundo. Até a primeira-dama dos EUA, Michele Obama, aderiu.

A Nutri Ventures é um projecto que surgiu de uma proposta lançada pelo super mercado Pingo Doce, em 2010, para orientar as crianças para os produtos frescos e foi nesse momento que Rodrigo (criativo) juntamente com o seu sócio e coautor Rui Miranda criaram o Teo, a Lena, o Bem e a Nina.

– Há vários estudos que provam o poder incalculável do entretenimento. Mostra-se uma banana aos miúdos, mostra-se uma pedra com um autocolante do Shrek, pergunta-se-lhes o que escolhem para o pequeno-almoço e todos levam a pedra – afirma Rodrigo explicando que se juntarmos uma maça associada a chocolate, conotamos os dois ao mesmo nível. Não que comer chocolate seja mau para a saúde mas o que é em excessos também não é benéfico.

Os dois amigos tentaram então perceber como poderiam criar uma historia que pudesse cativar a atenção de uma criança entre os cinco e os dez anos de idade sem cair no lugar comum dos chatos programas educativos.

A série televisiva criada pelos empresários em parceria com o professor de escrita criativa João Ramos e com a Associação Portuguesa de Nutricionistas foi um grande sucesso. A ideia inicial que era apenas um projecto para a rede de hipermercados, transformou-se em um bem sucedido programa vendido para 30 países.

A televisão continua a ser o maior interesse da equipa, mas a causa espalhou-se para livros, músicas, licenciamento de produtos, parcerias com instituições, entre outras formas que levam a marca a envolver as crianças no tema principal da alimentação saudável.

– Quando é que a criança vê o alimento bom? À mesa, sentada direita, a ouvir que não se levanta enquanto não comer as couves-de-bruxelas – conta Rodrigo, determinado em mudar a visão dos mais novos. – E quando é que ela vê o chocolate? Num mega-anúncio televisivo, com oferta de brinde e os amigos na escola a dizerem: “Tu ainda não tens isto? Coleciona! – É uma luta demasiado desequilibrada para os pais.

A força da Nutri Ventures foi notável quando uma amiga de Rodrigo lhe ligou em estado de extasie, baralhando palavras afirmando que “O filho não bebia leite, não mais que um dedo cheio de chocolate em pó. E eu ofereci-lhe um DVD para avaliar reações, o Manel viu e, como ia jogar à bola no dia seguinte, pediu à mãe que lhe enchesse o copo porque precisava da resistência do reino branco. Ela nem queria acreditar”

(Imagem: Reprodução Jornal Sol)
(Imagem: Reprodução Jornal Sol)

 

A história dos Salteadores da comida perdida

A história começa com um ato maléfico do vilão Alex Grand, que usando o seu exército de G-Squads destruiu toda a comida do mundo e obrigou a população a alimentar-se apenas de Genex-100, um composto muito calórico e produzido na Grand Corpation, empresa do qual é dono. As crianças cresceram sem nunca verem as cores vermelho – carne, amarelo-manteiga ou verde-ervilha, sem nunca verem ou entenderem o que é a roda dos alimentos. Mas antes que Alex Grand pudesse destruir toda a comida do mundo, o sábio nutricionista Neus, encarregou setes dos melhores colaboradores do seu clã – os Nutri-Mestres – para irem viver longe e em segurança, protegendo o grupo alimentar que lhes foi atribuído. Cabe assim a Teo, Lena, Nina e Bem juntamente com os Nutri-Mestres resgatarem toda a comida perdida e ensinarem aos mais novos os superpoderes que os contêm alimentos que Alex eliminou.

Nesta aventura, o leite cura ossos partidos, os cereais dão energia para saltar quatro ou cinco andares e uma cenoura produz a capacidade de visão raio-x. O humor do vilão Alex não ficou nada agradável com a chegada dos heróis mas o das crianças sim e a sua alimentação também.

A série de animação passa em Portugal na RTP2 e no Canal Panda.

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.