CulturaMoçambiquePortugal

“Paisagens Interiores” de Maputo seguem para Lisboa

Leya

 

Lugares inéditos, paisagens singulares e espaços históricos da capital moçambicana são retratados na exposição de Filipe Branquinho, uma colectânea que será apresentada em Lisboa a partir de 29 de Março, na Galeria Avenida das Índias.

 

Paisagens Interiores” resulta de um projecto desenvolvido entre 2011 e 2015 pelo fotógrafo moçambicano, em que o artista procura retratar a cidade onde nasceu, vive e trabalha. A mostra, com cerca de 24 fotografias, faz parte de uma exposição individual do fotógrafo que foi primeiramente apresentada em Maputo no Centro Cultural Português.

 

Não são apenas imagens, são histórias narradas por lentes que captaram o que, na sua óptica, espelha o interior de uma cidade secular que guarda nas paredes de seus edifícios histórias que ele procura decifrar.

 

A exposição propõe um trajecto entre espaços públicos e semi-públicos da Cidade de Maputo, traduzindo vestígios do passado e do presente. Cinemas, associações, arquivos, escolas e piscinas são revisitados pela visão atenta e pelo olhar apaixonado do fotógrafo. A exposição, nas palavras do próprio artista, propõe um debate sobre Maputo enquanto cidade africana pós colonial, que se ergue diariamente buscando ares de modernidade.

(Imagem: Reprodução Club of Mozambique)
(Imagem: Reprodução Club of Mozambique)

Filipe Branquinho nasceu em Maputo, Moçambique, em 1977. Envolveu-se nas artes fotográficas através do contacto com alguns dos maiores nomes do fotojornalismo moçambicano como Ricardo Rangel, Kok Nam e José Cabral.

 

Fotógrafo autodidacta, Branquinho estudou arquitectura na Universidade Eduardo Mondlane em Maputo e na Universidade Estadual de Londrina, no Brasil. Na sua prática, aborda questões do foro social, debruçando-se sobre a realidade moçambicana, especialmente sobre os modos de vida da população, as mitologias e as dinâmicas urbanas. São essencialmente retratos individuais que documentam uma sociedade em mudança.

 

Em 2015, “Paisagens Interiores” foi já objecto de reconhecimento internacional quando, em Abril, Filipe Branquinho venceu o Prémio Internacional para Fotografia Contemporânea Africana Popcap’15. A série volta a ter destaque internacional com a selecção de um conjunto de fotografias para a exposição principal – “Telling Time” – da 10.ª Bienal Africana Encontros de Fotografia de Bamako, que decorreu até 31 de Dezembro na capital do Mali.

 

Além de “Paisagens Interiores”, Filipe Branquinho é autor de Ocupações (2011-2014); Showtime (2012-2013); Chapa 100 (2013); Vila Algarve (2013 – projecto em curso); Ungulani (2014); Gurué (2014 – projecto em curso).

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.