AngolaBrasilCabo VerdeEconomiaGuiné-BissauMoçambiquePaísesPolíticaPortugalSão Tomé e PríncipeTimor-Leste

Primeira Conferência Energia para o Desenvolvimento da CPLP

(Imagem: Acervo próprio Shutterstock)

 

A primeira Conferência Energia para o Desenvolvimento da CPLP decorrerá no Centro de Congressos do Estoril (Lisboa, Portugal) já nos próximos dias 24 e 25 de junho.

O objetivo do evento é cruzar parceiros, refletir sobre as conjunturas passadas e presentes e projetar um futuro para a dimensão política e económica dos recursos energéticos da CPLP.

A energia, a sua necessidade, dependência, produção e preponderância global são baluartes incontornáveis da economia mundial. Portanto, a sua discussão, análise e estratégia são fundamentais. E, neste dossier, a CPLP pretende afirmar o seu papel de ator global, sublinhando o seu potencial enquanto facilitador de negócios, plataforma intercontinental, veículo político e diplomático, parceiro na cooperação técnico-económica e cooperante no desenvolvimento e estabelecimento do um novo panorama energético para o século XXI.

A atividade energética é uma faceta da identidade dos países da CPLP, onde todos os nove países são possuidores de recursos fósseis e/ou renováveis, em potência e/ou em exploração. Em 2009, os dados apontam para entre 2,4% e 2,8% da produção mundial de energia primária (fóssil e renovável) terem sido provenientes da CPLP.

Atualmente assistimos a uma nova tendência económica e social gerada pelo salto tecnológico para os “novos” combustíveis. O que se deve às recentes e grandes descobertas de energias fósseis e à existência de um assinalável grupo  de empresas que já atua no âmbito duma “lusofonia da energia”, com atividade em mais do que um país.

O potencial é imenso e o futuro cristalino para o desenvolvimento e crescimento dos países que partilham o português como língua oficial. O idioma soma mais de 250 milhões de integrantes na comunidade constituída por nove países, sendo Angola, Brasil,  Cabo-Verde, Guiné Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste, mais a região autónoma de Macau, na China.

Segundo dados da UNESCO, estima-se que em 2050 os países africanos falantes da língua portuguesa terão uma população combinada de 83 milhões de habitantes e, no total, os países de língua portuguesa terão uma população de cerca de 400 milhões de habitantes.

As inscrições para parceiros, expositores e participantes na conferência estão abertas em energiacplp.org.

cplp
(Imagem: Reprodução Wikipedia CPLP)

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.