BrasilCultura

Já é possível fazer uma visita virtual ao Museu Afro Brasil

Não estar no Brasil fisicamente já não é justificativa para não visitar o Museu Afro Brasil. Graças a uma parceria com o Google Cultural Institute, já é possível visitar os 11 mil m2 de instalações do museu de forma virtual, com o Google Street View.

(Imagem: Reprodução Google Cultural Institute)
(Imagem: Reprodução Google Cultural Institute)
(Imagem: Reprodução Google Cultural Institute)
(Imagem: Reprodução Google Cultural Institute)

Para além do passeio virtual, mais de 100 obras da coleção estão disponíveis. Duas das exposições temporárias que já estiveram no museu foram também disponibilizadas.

(Imagem: Reprodução Google Cultural Institute)
(Imagem: Reprodução Google Cultural Institute)
(Imagem: Reprodução Google Cultural Institute)
(Imagem: Reprodução Google Cultural Institute)

A primeira é “Espírito da África – Os reis africanos”, que exibe fotografias de Alfred Weidinger, fotógrafo austríaco especializado em África, que buscou os remanescentes das monarquias dos maiores reinados africanos.

(Imagem: Reprodução Google Cultural Institute)
(Imagem: Reprodução Google Cultural Institute)
(Imagem: Reprodução Google Cultural Institute)
(Imagem: Reprodução Google Cultural Institute)

Já “O Banzo, o Amor e a Cozinha de Casa”, do artista plástico Sidney Amaral, inclui desenhos e instalações e faz surpreendentes “apelos”, no bom sentido da palavra, por conta dos muitos caminhos propostos por ele.

(Imagem: Reprodução Google Cultural Institute)
(Imagem: Reprodução Google Cultural Institute)
(Imagem: Reprodução Google Cultural Institute)
(Imagem: Reprodução Google Cultural Institute)
O Museu Afro Brasil
O Museu Afro Brasil está localizado no Pavilhão Padre Manoel da Nóbrega, dentro do mais famoso Parque de São Paulo, o Parque Ibirapuera, o Museu conserva, em 11 mil m2 um acervo com mais de 6 mil obras, entre pinturas, esculturas, gravuras, fotografias, documentos e peças etnológicas, de autores brasileiros e estrangeiros, produzidos entre o século XVIII e os dias de hoje. O acervo abarca diversos aspectos dos universos culturais africanos e afro-brasileiros, abordando temas como a religião, o trabalho, a arte, a escravidão, entre outros temas ao registrar a trajetória histórica e as influências africanas na construção da sociedade brasileira.

 

Leya

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.