Sustentabilidade

Startup de jovem moçambicano cria carvão ecológico de baixo custo

2 min

A empresa Eco-Planet Mozambique — criadora do Eco-Carvão, uma opção ecológica e sustentável ao carvão vegetal e à lenha — ganhou o prêmio Startupper do Ano 2018 em Moçambique. Cerca de 95% das famílias moçambicanas dependem de carvão para a produção de alimentos, de forma que a invenção pode ter um impacto real no país.

 

O Eco-carvão recupera a biomassa no solo e recicla lixo agrário ou municipal, sendo mais sustentável, mais barato, emitindo menos gases poluentes e tendo um período de queima que é mais lento que os carvões tradicionais — ou seja, dura mais tempo. Em entrevista para o DW África, o criador Sebastião Coana, que estudou na China, lembra que até mesmo o processo de aquisição dos restos agrários são um elemento positivo, por ser uma forma importante de melhorar a economia rural.

 

Sebastião quer investir primeiramente no distrito de Manhiça, ao sul de Moçambique, uma região com taxa de urbanização na ordem dos 10% onde quase não há energia elétrica e, mesmo onde há, o valor é alto e as famílias não conseguem pagar. Como o carvão é mais barato, sobraria mais dinheiro para as famílias dedicarem a outras coisas.

 

Organizado pela petrolífera Total, o prêmio — além de dinheiro, é também composto de formação e apoio na divulgação dos projetos — é destinado à valorização de jovens empreendedores que visem, de alguma forma, a melhoria social e ambiental. O valor ganho pela Eco-Planet será usado para expandir a capacidade de produção do carvão.

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.