CulturaUncategorized

Entrevista a Antônio Grassi

São muitos e profundos os laços que unem Portugal e Brasil. Ligações que têm permitido aos países reconhecerem os traços em comum e a quererem dar a conhecer as suas diferenças.

Desde Setembro que decorre o Ano do Brasil em Portugal e o de Portugal no Brasil, um projeto que pretende promover ainda mais essa partilha e o conhecimento mútuo entre os dois países.

Por terras lusas, a cultura brasileira tem deslumbrado com a sua pujante diversidade, carregada de sabores, cores e sonoridades próprias, convidando Portugal a absorvê-la, a conhecê-la para além dos espaços comuns e a querer descobrir os seus tesouros mais bem guardados.

A Conexão não quis deixar de ir mergulhar nesta descoberta. Fomos ao Espaço Brasil do Lx Factory (Lisboa) conversar com o comissário-geral do Ano do Brasil em Portugal, Antônio Grassi, para que nos falasse um pouco mais sobre esta iniciativa e o que se pode esperar ainda até Junho de 2013.

CL: Antônio, antes de mais, porque estamos aqui hoje?

AG – O que nos traz aqui é o ano do Brasil em Portugal. Temos esta atividade que está acontecendo desde Setembro de 2012 e que vai até Julho de 2013. Durante estes dez meses temos uma série de actividades, principalmente focadas na produção cultural e artística, mas não somente isso. Tem-se estabelecido acordos na área da Ciência e tecnologia, da economia, do turismo, esportes. Enfim, uma série de atividades para estreitar os laços entre os países, mas, antes de tudo, para promover um conhecimento maior; para que se atualize essa relação e se amplie esse universo do Brasil com Portugal.

CL – Há pouco tempo dizia, num artigo que publicou no jornal O Globo, que os portugueses e os brasileiros não se conheciam para além dos ícones mais óbvios. Acha que este projecto já começa a gerar a mudança que se quer neste relacionamento entre os dois povos?

AG– Certamente é muita pretensão achar que em poucos meses é possível reverter esse quadro. Mas, acho que nós já abrimos uma porta; nós já começamos um processo que, seguramente, vai ser muito importante que ele continue. Talvez o maior desafio desta iniciativa seja o de construirmos o que vai acontecer depois. Quando acabar esse Ano em Junho de 2013, o que ficará dele? Qual vai ser a continuidade desse projecto?

CL- Acha que a permanência do Espaço Brasil para além de Junho de 2013 já é um sinal que esse estreitamento de laços poderá perdurar para além dessa data?

Certamente. A gente ter um ponto de encontro da cultura brasileira que fique depois de tudo, é um ponto fundamental para nós. É fundamental para nós saber que este espaço poderá ser um local de referência não só para a apresentação de eventos mas também na área dos workshops, seminários e de tudo que pode ser proporcionado aqui.

CL – Reparamos que o Antônio é um tuiteiro assíduo. Tem feito vários posts, não só das actividades que têm decorrido no âmbito desta iniciativa mas também das viagens que tem feito por Portugal. O que descobriu em Portugal nestes últimos meses que o surpreendeu?

AG – Tudo!! Portugal é uma grande descoberta. Todos os Brasileiros têm uma relação muito especial com Portugal. Além da nossa história, é uma surpresa saber que em Portugal é como se a gente tivesse em casa. É como se nós tivéssemos chegado a um estado brasileiro que ainda nós não conhecemos. Ao mesmo tempo, é essa oportunidade de você estar num outro país sem ser estrangeiro na sua língua. É um dado muito importante. A gente está na Europa falando português. É fantástico! Assim como quando estamos na África falando português. Se a gente conseguir ampliar este universo, acho que isso é um canal muito importante.

CL – Pegando precisamente nesse ponto e alargando a conexão Brasil-Portugal ao resto da lusofonia. Para si qual é o papel do Brasil, hoje, dentro do espaço lusófono?

AG– Acho que é um papel muito importante, não só pela quantidade de habitantes que temos como também, internacionalmente, o Brasil tem mostrado a sua força e pode capitanear um processo muito interessante. Nós temos pensado muito em promover a partir desta experiência do Ano do Brasil em Portugal, um Ano da Língua Portuguesa que pudesse envolver principalmente os países africanos.

CL- Para finalizar, queríamos que endereçasse um convite ao resto da lusofonia para que se junte a essa festa Brasil-Portugal.

AG – Quero fazer um convite para que todos se juntem a essa festa, principalmente porque a festa Portugal-Brasil é só uma ponta de uma festa muito maior que é aquela que une todos os povos de Língua Portuguesa. Essa é a nossa tarefa e quero convidar todos a participar dela.

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.