PortugalSaúde

Jovem investigadora portuguesa vence um dos mais importantes prémios de neurociência. O seu terceiro só este ano.

Rita Guerreiro tem 35 anos, nasceu em Estremoz, no Alentejo, doutorou-se nos Estados Unidos, trabalha na University College of London e foi a grande vencedora do Prémio Fondazione Gino Galletti Neuroscience deste ano, pelo seu trabalho sobre doenças degenerativas.

 

A Rita é uma estrela em ascensão
— John Hardy, um dos mais conceituados especialistas em neurociência, e na doença de Alzheimer em particular

Na verdade, esta não é a primeira vez que Rita é distinguida. Em Janeiro deste ano a jovem foi a vencedora do Prémio Europeu para jovens investigadores, atribuído pela Associação francesa para a Investigação sobre Alzheimer, e também este ano, venceu o Prémio da Sociedade Britânica de Investigação de Alzheimer e Demência na categoria de “realização académica”.

 

No seu trabalho multipremiado sobre as mutações do gene TREM2 e a relação com o desenvolvimento da doença de Alzheimer, Rita conseguiu identificar o primeiro gene da doença, algo que a comunidade científica tentava há 15 anos.

 

Leya

4 Comentários

  1. Carla
    10 Novembro, 2015 às 22:38 — Responder

    Suponho que sejam doenças degenerativas e não “regenerativas”.

    • 11 Novembro, 2015 às 9:27 — Responder

      Muito obrigado, por mais que se reveja há sempre qualquer coisa que passa 😉

  2. António
    11 Novembro, 2015 às 6:42 — Responder

    Há uma gralha no texto, ela estuda doenças degenerativas e não regenerativas.

    • 11 Novembro, 2015 às 9:27 — Responder

      Obrigado António, a gralha já foi corrigida. Cumprimentos.

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.