MoçambiqueOpiniãoPaísesPolíticaSociedade

Moçambicanos continuam a ser expulsos da África do Sul

Após a onda de Xenofobia que assolou a África do Sul há tão pouco tempo, era impossível prever o que sucede hoje naquele país da região Austral de África. Recentemente, centenas de moçambicanos foram detidos e estão a ser deportados, numa operação de “caça ao imigrante ilegal” que apanhou o Governo de Moçambique completamente de surpresa.

 

Entretanto, os ataques xenófobos na África do Sul cessaram, mas não terminaram os problemas com os estrangeiros. Às perseguições, agressões e mortes sucederam-se a um ritmo acelerado as prisões e o repatriamento de dezenas de estrangeiros oriundos, nomeadamente, dos países vizinhos.

 

O Governo sul-africano desencadeou recentemente a Operação Fiela (“fiela” significa varrer ou limpar em língua soto) com o objetivo de “eliminar os elementos criminosos”, segundo as autoridades. A Polícia, com o apoio do Exército, tem levado a cabo uma autêntica “caça” aos indocumentados que, imediatamente, são repatriados para os seus países de origem.

 

Apesar das duras críticas por parte das organizações de defesa dos Direitos Humanos e dos imigrantes, o ministro sul-africano da Presidência, Jeff Radebe, defendeu a continuação da operação. “Vamos, nos próximos dias e semanas, acelerar os nossos esforços com vista a recuperarmos os edifícios públicos tomados de assalto, quer pelos estrangeiros, quer pelos sul-africanos, combater o tráfico de drogas nas comunidades, prender e continuar a repatriar os que violam as nossas leis“.

 

Perto de mil imigrantes ilegais de origem moçambicana terão sido detidos e quinhentos dos quais já foram repatriados nesta operação contra os indocumentados. Face a este quadro, o ministro moçambicano dos Negócios Estrangeiros, Oldimiro Baloi, em declarações à Agência LUSA, reagiu nos seguintes termos: “Fomos colhidos de surpresa por esta ação do Governo sul-africano. Esperávamos que, depois dos ataques xenófobos houvesse alguma acalmia e que fossem procurados meios para se resolver o problema de fundo, que é o da imigração ilegal“.

 

Os imigrantes ilegais são acusados, por muitos sul-africanos, de serem uma das principais causas do elevado desemprego existente e de estarem envolvidos na grande onda de criminalidade que há anos assola o país.

 

É de recordar que o Presidente Jacob Zuma se encontra de visita a Moçambique até ao dia 22 de Maio, e poderá aproveitar a ocasião para pedir desculpas pelos atos protagonizados no seu país país, contra os moçambicanos e não só.

 

Leia Mais:

>>> Conheça a figura responsável pelo discurso de ódio que inflamou e levou à onde de violência na África do Sul

>>> Mia Couto escreve carta ao Presidente da África do Sul a condenar a violência xenófoba no país

>>> Jacob Zuma responde à carta de Mia Couto

>>> Moçambicanos saem à rua em protesto contra os atos de violência levados a cabo pelos seus vizinhos sul-africanos

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.