CulturaPortugalTurismo

O The Guardian descobriu o Hot Club em Lisboa e recomenda

Leya

 

Lisboa menina e moça continua a encantar o mundo. O jornal britânico The Guardian que o diga, não resistindo a fazer-lhe calorosos elogios, desta vez tendo como pano de fundo o jazz.

 

Para os amantes desta manifestação artístico-musical, o dito jornal acaba de “carimbar” Lisboa como uma das cidades incluídas na selecta lista dos “10 melhores clubes de jazz da Europa”, tendo como referência o Hot Club de Portugal, considerado um dos mais antigos do mundo.

 

Fundado em 1948, foi o primeiro clube de jazz criado em Portugal.  A cave onde funcionava escapou ilesa, mas o edifício ficou na altura muito deflagrado fruto de um incêndio sucedido em 2009. “Felizmente reabriu três anos depois, duas portas ao lado, graças ao apoio dos lisboetas e do trabalho da associação que o fundou”,  frisa o The Guardian, que destaca a forma como o clube reinventou-se com capacidade para 140 pessoas, tornando hoje em dia num destino apetecível para um público diversificado, principalmente para aqueles que buscam um ambiente intimista.

 

Porque quem faz os lugares serem especiais são as pessoas, a publicação ressalta ainda os nomes considerados lendários que já subiram ao palco do Hot Club de jazz como Count Bassie, Dizzy Gillespie, Sarah Vaughan e Dexter Gordon. Mário Laginha (piano) e André Fernandes (guitarra) são dois portugueses em destaque.

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.