Cultura

Pesquisadores brasileiros mataram células cancerígenas com música

2 min

Uma pesquisa do Programa de oncobiologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) provou que é possível matar células ligadas ao câncer de mama (MCF-7) com o uso da música clássica. A obra usada para os testes foi a Quinta Sinfonia, de Beethoven, mas outras músicas clássicas têm o mesmo efeito, como Atmosphères, de György Ligeti.

 

A explicação de porque isso se deu em duas músicas tão diferentes ainda não está clara, mas a equipe de investigadores responsáveis acredita que tenha a ver com um ritmo, timbre ou intensidade específica, não necessariamente com a obra toda. Descobrir qual é este fator seria o passo inicial. Em seguida, criar-se ia sequências sonoras para o tratamento, na mesma linha do que já é feito com a musicoterapia no tratamento de distúrbios emocionais.

 

A pesquisa também revelou um detalhe: ouvir a música em som ambiente ou em fone de ouvido têm efeitos diferentes no organismo. Com fones, os efeitos são mais no campo emocional. As descobertas contra o câncer seriam resultados de exposições ao som ambiente.

 

 

Os testes em laboratório

 

A experiência mostrou que o uso de frequências de música clássica pode ter uma importância ímpar no enfrentamento da doença. No teste feito em laboratório, uma em cada cinco das células expostas à música (durante meia hora) morreu e muitas células sobreviventes reduziram de tamanho. O efeito não foi o mesmo no uso da música Sonata para 2 pianos em ré maior, de Mozart, também testada.

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.