BrasilCultura

Qual a diferença entre Hungu e Berimbau?

O nome Hungu pode soar familiar a alguns pela animação de mesmo nome, que completou 10 anos em 2018. O curta conta a história de uma lenda africana muito conhecida, na qual a alma de uma mulher vira música. Mas muitos talvez não saibam do que se trata esse belo instrumento musical.  O nome Hungu é angolano. Em Angola também usa-se o nome Mbulumbumba. Se falarmos Xitende, os moçambicanos certamente entenderiam melhor. Mas e os brasileiros? Bem, uma outra alternativa de nome ao Hungu é, com certeza, muito conhecida no Brasil – berimbau. Mas, então, qual a diferença entre Hungu e Berimbau? E Xitende?

 

Na prática, nenhuma, além do nome. Os três referem-se ao mesmo instrumento de cordas obtido pela junção entre uma cabaça, um arco, cordas e tocado com dobrão e baqueta.  O instrumento sempre foi comum ao povo Banto – situados principalmente em Angola e Moçambique. Tradicional acompanhante da capoeira, a arte-marcial afro-brasileira, o Hungu foi ao Brasil pelas mãos dos escravos durante o século XVI, mas especula-se que tenha origens que remontam à antiguidade. Inclusive, teria sido influência e inspiração para a criação da cítara e da harpa.

 

A lenda contada na animação citada é justamente a do surgimento do Hungu ou Berimbau. Segundo a lenda, uma mulher tomava água em um córrego quando foi atacada por um homem. Ao morrer, seu corpo tornou-se as partes que compõe o Hungu e sua alma o som melodioso que emana do instrumento.

 

O que compõe um Hungu?

Hungu e berimbau são sinônimos
Disposição das partes de um hungu ou berimbau (Imagem: Reprodução Wikimedia)

O Hungu é composto de cinco partes:

Arco

O arco, chamado verga, é feito com madeira flexível. No Brasil é mais comum a utilização da Biriba (Eschweilera Ovata). Na Europa pode ser com Freixo (Fraxinus Angustifolia) e, na África, podem ser usados alguns tipos de Acácia. A madeira tem que ser de árvore viva que seque naturalmente.

Cabaça

A Cabaça – ou cuia – é um fruto seco e arredondado que, colocado ao pé do arco, reproduz o som que vem das cordas.

Cordas

Chama-se corda, mas é frequentemente feito com arame para garantir a resistência durante o toque. Há duas: uma que, esticada, emite o som que sai pela cabaça e outra que prende a cabaça ao arco.

Dobrão

Uma pedra usada para marcar ritmo e variar as notas.

Baqueta

Um pedaço de madeira curto com o qual se bate na corda para reproduzir o som que sai pela cabaça.

1 Comentário

  1. 26 Maio, 2019 às 2:38 — Responder

    DA EDUCAÇÃO DOS QUE NÃO SERÃO SUBJUGADOS …

    >>> Mas, então, qual a diferença entre Hungu e Berimbau? E Xitende?

    >>> Na prática, nenhuma, além do nome. Os três referem-se ao mesmo instrumento de cordas obtido pela junção entre uma cabaça, um arco, cordas e tocado com dobrão e baqueta. >>>

    De fato ????????na prática … o nome gunga, médio, viola, violinha, berra-boi, berimbau de barriga, verga, orucungo, gobo, bucu, bumba, e macungo, entre outros “apelidos” usados no BRASIL colonial… representa a mesma coisa: do instrumento de uma corda so.

    E, pra se re-educar e aprender a ter orgulho de escrever de si, da sua cultura … sendo BRASILEIRO … na prática… se educando sem demagogia … eh hr é hr de tb o POVO BRASLEIRO começar a escrever de si, com orgulho da sua cultura, no seu idioma nativo, na lingua do povo do BRASIL.Que inclui uma mistura de varios idiomas que foram utilizados durante o processo que viveram os que foram trazidos aa força para viver subjugado, escravisado, na América Latina; e outros, que la chegaram por conta propria.

    Portanto, se ficar so repetindo a fala/escrita dos portugueses = dizendo que vc fala ‘pUortuges” — ??? — … cuidado… pois, quando chegar ao vivo e em ‘cores’ em Portugal… podera vc “cair” de 4… na hr que eles la não te entenderem e nem vc a eles… falando da cultura do BR e usando outros nomes pro instrumento da C-apoeira (*C INICIAL MAIUSCULO!) — >> do povo do BR…. — **Nunca mais confundir “c” kum “C” , pois pode te discriminar de tabela. Pois, palavra “capoeira” sendo escito em minusculas identifica a cultura do galinheiro ( e a merda) dos portugueses povo europeu.

    Pra bom entendedor ja ta falado e dito. Escreve vira lei. Escreve de si sem sentido…. acaba aonde ta = sendo subjugado e ovacionando a cultura dos outrUS —- — ta aonde vc? nesse JOGO —- —-

    Vai vc vai vc…. a Capoeira do Povo do Brasil, que a partir de 2014 foi legalizada sendo um PATRIMÔNIO IMATERIAL DA HUMANIDADE pela UNESCO, e é um Título Cultural, um nome proprio, nosso cultura precisa ser TB respeitada na escrita.

    E, o instrumento birimbau (ungo, berra-boi… etc) que nos identifica agora na Roda de Capuêra ( *nome que pode ser escrito como Capoeira, Kaa-poera, Capoera, etc. que identifica a cultura do Povo do Brasil) seque na mesma atitude, quando ta sendo escrito, e identificando o cultural de um povo.

    Querendo mais educação, sem demagogia que não se limita somente feito “ovelha submisso/s” a repetir a “fala de feitor” racistas, veja também { Qual a diferença entre Hungu e Berimbau? } — adicionando mais informação ESCRITA no livro SINFONIA DE BRIMBAU na parte do livro que conta sobre a história do povo do BR; incluindo a cultura do birimbau brasileiro apresentando um novo método pra escrita correta na partitura de música pra dignificar o instrumento brasileiro. ** Este livro GINGA em 3 idiomas e vc compra na Amazon, Apple e Kobo –** o eBook do livro na Amazon do BR ta em preco especial em real. O livro sendo feito no papel so rola o jogo na Amazon.US — não da (ainda) pra imprimir na Amazon.br nem pagar em reais, infelizmente, pois eu gostaria de poder oferecer pro povo brasileiro assim nesta base.

    Axé!

    A EDUCAÇÃO É O PILAR DA LIBERDADE E OS EDUCADOS NÃO SERÃO SUBJUGADOS.

    Mestre Jeronimo-JC
    – “cidadão do mundo” que encarnou na selva amazônica do país de marca registrada rotulado de Brasil onde a cultura da CAPOEIRA nasceu da LUTA contra a opressão social para libertar o povo do racismo e conceder LIBERDADE.

    *Autor do livro CANTA CAPUÊRA – Compilation of Capoeira Songs ©2019 & SINFONIA de BIRIMBAU – Cultura da Capoeira em Música Clássica ©2018 — written in Brazilian, English and Spanish languages and available at AMAZON, KOBO, APPLE. Autor de vários livros publicados a partir de 1995.

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.