Estilo de Vida

Sete maneiras de criar pensamentos positivos que as pessoas mais felizes cultivam diariamente

8 min

1. Pense em tudo aquilo que tem de bom na sua vida, durante os primeiros dez minutos do dia

Esta pequena mudança de mentalidade pode fazer toda a diferença no seu dia. Assim que acorda, em vez de ceder aos impulsos de começar a pensar nos problemas, passará a absorver uma mensagem positiva primeiro. Lembre-se das pessoas que tem ao seu lado, de quem gosta de si, de tudo o que aprendeu com as suas derrotas e obstáculos, do que já conquistou (a nível pessoal ou profissional), enfim, de tudo e qualquer coisa que valorize o seu trajeto. Os pensamentos positivos são muito mais poderosos do que imagina.

 

Certamente que, graças a esse momento de gratidão e de reflexão positiva, será muito mais difícil sentir os seus problemas com a intensidade anterior. Veja, em baixo, a rotina matinal de Tony Robbins, um dos mais famosos e prestigiados palestrantes motivacionais do mundo.

 

 

2. Distraia-se do passado através da vivência do presente. Foque-se no seu momento atual

Cometeu erros que preferia não ter cometido? Viveu uma experiência terrível? Arrepende-se de não ter escolhido outro caminho? Independentemente da sua história, o tempo não volta atrás. Entender ativamente esta condição da vida humana faz parte da aceitação das coisas que estão fora do nosso controlo. Isso é sinal de maturidade e, provavelmente, de alguma experiência de vida.

 

É importante que adote este estado de espírito para poder viver sem rancores, ódios ou constantes frustrações. Assim, está mais disponível para refletir sobre todo o seu caminho, absorvendo aprendizagens no lugar de sentimentos negativos. Da mesma forma, vai aliviar-se de “pesos” emocionais e viver mais intensamente as emoções do presente, em direção ao futuro. Talvez este vídeo possa ajudar, nas palavras de Joe Dispenza, renomado neurocientista estadunidense:

 

 

3. Agradeça o seu corpo

Muitas vezes, os complexos com o corpo afetam a perspetiva que tem de si mesmo/a. É normal, também, que seja mais difícil sentir-se uma pessoa feliz se não amar a forma física da sua humanidade. Por isso, é importante realçar que os pensamentos positivos, nesta área da sua vida — e a expressão body positive (positividade corporal) reflete essa realidade de forma certeira —, são tão importantes quanto para as restantes.

 

Independentemente do complexo físico que possa ter, ou da parte do seu corpo da qual não consegue gostar, pergunte-se: “esta característica é uma manifestação de um comportamento pouco saudável, que deveria mudar, ou faz parte de mim e da natureza do meu corpo?”. Da resposta, conforme o sentido que tomar, vai surgir uma de duas conclusões possíveis — ou está na hora de colocar em prática os comportamentos que vão reverter os danos do paradigma anterior, ou é altura de aceitar quem é, amando, agradecendo e cuidando do corpo que tem.

 

Estas questões corporais são muito mais do que a dualidade entre o ser magro/a ou gordo/a. No entanto, a modelo Ashley Graham, que se debateu fortemente com esse confronto ao longa da sua vida e carreira, apresenta uma palestra inspiradora sobre o amor que devemos aprender a cultivar pelo nosso corpo. Infelizmente, ela é ainda rotulada pelo indústria da moda como uma modelo plus-size (tamanho grande). Veja o vídeo, em baixo.

 

4. Cultive pensamentos voltados para o que lhe dá energia

A paixão que sente na vida é traduzida por energia. É através da energia que o desempenho de uma determinada tarefa, atividade ou ocupação lhe dá que consegue perceber o quão gosta da mesma. Assim, se tirar o tempo necessário para pensar naquilo que o/a torna mais energético/a, e se souber decifrar as respostas, irá encontrar a sua “paixão”.

 

É evidente que as paixões mudam e pode querer fazer muitas coisas diferentes com e na sua vida; mas, mais uma vez, é pela energia que consegue perceber quando precisa de mudar. Assim, fará escolhas que vão ao encontro dessa vontade de sentir-se energético/a. Quando aquela atividade já não lhe proporcionar esse sentimento, irá encontrar outras que o façam.

 

Mel Robbins, renomada palestrante motivacional, autora e comentadora de televisão, defende de uma forma muito assertiva que é através da energia que chegamos ao nosso propósito. Assista ao seu marcante testemunho, em baixo.

 

5. Visualize o que quer da vida

“Visualização”, “lei da atração” ou “manifesto”: estes são três dos termos comummente associados ao mesmo processo. O objetivo destas práticas é adotar e desenvolver a capacidade de programar o nosso cérebro para encontrar os “sinais” que confirmam que iremos conseguir alcançar o que pretendemos.

 

É essencial que consiga imaginar-se nessa posição de sucesso, seja em que área for, para que o seu cérebro aprenda a encontrar os sinais certos. Consequentemente, com a motivação e os pensamentos positivos que daí se geram, dar os passos necessários à concretização dos seus objetivos vai tornar-se um exercício mais fácil, natural e rápido. Talvez seja útil uma explicação mais prática. Ouça as palavras de Mel Robbins e entenda como esta pode ser uma poderosa ferramenta para a sua felicidade. Depois, feche os olhos e experimente um exercício de visualização.

 

6. Pense sobre o que dizem as pessoas que gostam de si

Pensar sobre aquilo que as pessoas dizem a seu respeito não significa acatar ou corresponder; significa, no entanto, refletir. E, embora nem tudo mereça reflexão, a verdade é que as relações íntimas que tem vindo a criar ao longo da sua vida — com a sua família, amigos, cara-metade — servem, também, para isso. É a essas pessoas que pode fazer todo o tipo de perguntas, sem precisar de máscaras. Assim, terá o feedback mais imparcial e sincero, além de que este será dito com as melhores intenções.

 

Tente perceber as críticas nos seus momentos de reflexão; perceba se há um padrão e, mais importante, decida se tentar mudar o que quer que seja está no seu melhor interesse.  De qualquer forma, não deite fora os comentários que chegam das pessoas que gostam de si, bons e maus. Isso vai ajudar a que se conheça melhor e a que tenha mais noção das suas qualidades, defeitos, pontos fracos e fortes. O autoconhecimento é fundamental para uma vida feliz. Sobre este tema, pode ouvir as palavras de Gary Vaynerchuck, reconhecido empreendedor, autor e palestrante, no vídeo:

 

 

7. Aceite que jamais irá agradar a toda a gente, em todas as áreas do seu trajeto

Não interessa especificar qual a categoria — familiar, profissional, amorosa —, porque é certo que, em qualquer uma delas, haverá sempre alguém que não vai gostar de si ou das suas escolhas. O poder de aceitar esta premissa, e de viver em consonância com a mesma, vai dar-lhe um sentido de liberdade que, antes, não conhecia.

 

Provavelmente, foi pelo receio que tinha dos julgamentos alheios que deixou de fazer isto ou aquilo na sua vida; aliás, talvez tenha sido essa a razão pela qual nunca se aventurou verdadeiramente naquilo que queria, ficando na zona de conforto. Saiba, no entanto, que essas zonas, a longo prazo, serão as mais desconfortáveis para si. Vai questionar-se “e se?”, vai sentir profundos arrependimentos, vai analisar demasiado a sua vida e alimentar angústias e frustrações. Vale mesmo a pena deixar de ser quem é, só para agradar os/as outros/as?  Vale a pena abdicar de uma vida que se desenrole segundo as suas regras, pelo medo de falhar e ser julgado/a?

 

Inspire-se e perca as “amarras”:

 

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.