Sociedade

Gentileza gera gentileza. Mas traz felicidade?

3 min

Pesquisadores da Universidade de Oxford, na Inglaterra, concluíram o que o Profeta Gentileza, figura brasileira conhecida no Rio de Janeiro, sempre dizia: ser gentil com o próximo causa significativa melhora no bem-estar de uma pessoa. Em outras palavras, o estudo — conduzido pelo Dr. Oliver Scott Curry, do Instituto de Antropologia Cognitiva e Evolutiva da Universidade de Oxford prova que ser bom e ajudar o próximo te deixa mais feliz!

 

Baseada em uma revisão de literatura feita em mais de 400 artigos publicados sobre a relação entre gentileza e felicidade, a pesquisa identificou 21 estudos que apontam diretamente a conexão. Com base nisso os pesquisadores calcularam um valor do quanto ser agradável com o outro impacta na felicidade e chegaram a um modesto aumento de 1 ponto, numa escala de 0 a 10. Pode parecer pouco, mas é uma prova científica de que fazer o bem aumenta a felicidade.

 

O estudo não identificou variações de padrão entre gentileza com amigos e família ou com estranhos. Assim sendo, fazer pequenos atos de bondade a qualquer pessoa aumenta a felicidade.  Segundo Dr. Curry, as pessoas realmente têm satisfação em ajudar os outros. Isto porque somos animais sociais e também porque “atos de solidariedade e gentileza são uma boa forma de fazer amigos e estabelecer uma base de relações”.

Gentileza gera gentileza, a frase mais conhecida do Profeta. Imagem: Rio com Gentileza

 

Profeta Gentileza

O Profeta Gentileza (1917-1996) foi uma personalidade-símbolo da necessidade de se fazer bem e ser amoroso com o próximo. Pregador urbano brasileiro, o trabalhador da terra José Datrino ficou conhecido popularmente como Profeta Gentileza após iniciar sua rotina de pregações pelas ruas do Rio de Janeiro, ainda na década de 1970. Deixou seus bens e tornou-se andarilho, espalhando a ideia de que “Gentileza gera gentileza”.

 

O profeta abordava as pessoas com flores nas ruas, falava sobre o amor e sobre como ajudar o próximo poderia mudar o mundo. Com forte convicção anticapitalista e fundo religioso, passou a deixar mensagens em 56 pilastras do viaduto do Gasômetro, no Rio de Janeiro, que mais tarde foram protegidos pela prefeitura da cidade e considerados patrimônio. Os painéis foram restaurados em 2011 e mantém viva a mensagem do Profeta. Confira alguns abaixo:

Todas as informações e obra do Profeta podem ser vistas aqui.

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.