CulturaMundo

Surge uma nova modalidade de museu: no fundo do mar

O Musea Atlantica, uma criação do artista, mergulhador e fotógrafo Jaison deCaires Taylor, propõe uma nova dinâmica de visita a um museu para apreciar obras de arte: mergulhando.

(Imagem: Divulgação)
(Imagem: Divulgação)

Conhecido por suas ambiciosas esculturas submersas, o artista investiu os últimos anos na criação de um museu submerso no Oceano Atlântico, próximo às Ilhas Canárias. São mais de trezentas obras instaladas em solo marítimo, próximas a recifes de corais. A proposta é que as obras sofram interferência da fauna e da flora marítima.

(Imagem: Divulgação)
(Imagem: Divulgação)

Segundo a BBC Brasil, são cerca de 300 estátuas de concreto, que representam os próprios moradores da ilha de Lanzarote, onde as obras foram instaladas.

(Imagem: Divulgação)
(Imagem: Divulgação)

O artista faz o possível para que o ambiente seja saudável – tanto que não inclui qualquer tipo de metal em suas esculturas, já que poluem o meio ambiente e são corrosivos. A ideia é que as obras durem centenas de anos, e vão sofrendo transformações ao longo do tempo, graças à ação da vida marinha.

(Imagem: Divulgação)
(Imagem: Divulgação)

 

Leya

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.