MundoSociedade

Animais com conta bancária? Sim, eles existem e são muito ricos

Aviso: este artigo pode ferir a suscetibilidade das pessoas que não têm nenhum animal de estimação. Porquê? Porque vamos dar-lhe a conhecer alguns pets que possuem uma conta bancária recheada, capaz de fazer inveja aos comuns mortais. Se não tem nenhum amiguinho de quatro patas, que o acompanhe em longas caminhadas ou que lhe aqueça os pés durante o inverno, poderá não perceber a possibilidade ou realidade deste cenário. Caso não compreenda, deixe-se levar pela curiosidade e descubra quantos euros é que alguns patudos têm na sua conta corrente, para esbanjarem em rações de luxo, tratamentos vip, cortes de pelo vanguardistas e acessórios e vestuário de alta-costura.

 

Grumpy Cat – a gata famosa da internet

 

Se por acaso é um aficionado por redes sociais, muito provavelmente já esbarrou com alguma imagem da Grumpy Cat. Esta estrela cibernética, do Arizona (Estados Unidos da América), conta com 8,6 milhões de seguidores no facebook, 2,4 milhões de seguidores no instagram e 1,5 milhões de seguidores no twiiter. Estima-se, segundo o jornal britânico The Telegraph, que tenha arrecadado cerca de 80 milhões de euros. Sim, leu bem. Esta gata, originalmente batizada com o nome Tardar Sauce, ficou mundialmente conhecida em 2012, depois de uma fotografia sua começar a circular na internet. Bem, não foi o ar de extrema fofura ou o olhar doce que a ajudaram a ficar famosa. Contrariamente, Grumpy (que significa rabugenta) destacou-se pelo ar zangado, carrancudo e mal-humorado, devido a um problema genético (nanismo). Esta patuda já superou os rendimentos de algumas vedetas cinematográficas de Hollywood e do universo futebolístico. Além dos inúmeros produtos de merchandising, já conta com livros no seu currículo felino e uma marca de café gelado: o Grumpuccino. Em 2014, protagonizou o seu primeiro filme: “Grumpy Cat’s Worst Christmas Ever”.

 

Imagem: Grumpy Cat

 

Bob – o gato de rua exemplar

 

Esta história é, no mínimo, inspiradora; desafiamo-lo a conter as lágrimas. Antes de ser batizado com o nome Bob, não passava de um gato de rua, de pelo laranja, que mendigava por comida. Certo dia, aventurou-se a entrar num prédio, na periferia da cidade de Londres, e tudo mudou. Foi adotado por James Bowen, um viciado em heroína que havia entrado num programa de reabilitação. Graças a esta decisão, Bowen foi alojado em Tottenham (Londres), na esperança de escrever uma história a partir do zero, deixando para trás o mundo das drogas. O felino alaranjado, que alimentava com o pouco dinheiro que tinha, tornou-se no seu amigo inseparável. Ficaram famosos pelo elo de cumplicidade. Bob seguia o dono para todo o lado, empoleirado no seu ombro. Bowen atuava nas ruas de Londres, ecoando as intemporais canções dos Nirvana, a troco de dinheiro. Rapidamente começou a chamar a atenção das pessoas, por ter um gato que o seguia. Depois de inúmeras fotografias tiradas a este par improvável, uma editora decidiu investir nesta história e, em 2012, lançou o livro “A minha história com Bob”, tornando-se o mais vendido no Reino Unido. Desde então, foram publicados mais seis livros, traduzidos em 45 línguas (incluindo português) e venderam-se cinco milhões de cópias em todo o mundo. Além do livro, a história foi adaptada para filme. Em 2016, estreou “A Street Cat Named Bob” que angariou cerca de sete milhões de euros, nas bilheteiras. Hoje, estes dois vivem confortavelmente e eternizam um relato de superação.

 

Imagem: A Street Cat Named Bob (facebook)

 

Conchita – a chihuahua milionária

 

A milionária Gail Posner morreu com 63 anos, em 2010. Além do dinheiro, a americana possuía três cães: os amores da sua vida. A luz dos seus olhos era a chihuahua Conchita. Enquanto ainda era viva, Gail mimava os seus animais de estimação com artigos de luxo: coleiras de diamantes, vestuário vanguardista, brinquedos de gama alta e até – imagine-se só – perucas de qualidade. Antes de morrer, deixou 3,5 milhões de euros à sua cadelinha, e aos seus outros dois cães, e uma mansão em Miami que, segundo o jornal Miami New Times, está avaliada em 8 milhões de euros. Quem não ficou nada feliz com este desfecho foi o filho da herdeira, Brett Posner, que herdou menos de metade do que a “irmã” de quatro patas.

 

Gail Posner e Conchita Imagem: Miami New Times

 

 

Gunther IV – o pastor alemão com título de conde

 

O pastor alemão Gunther IV é filho do pastor alemão Gunther III, que pertencia à condessa alemã multimilionária Karlotta Liebenstein. Após a morte do seu pai (Gunther III), Gunther IV herdou a sua fortuna. Sim, neste caso, o pai-cão deixa a fortuna ao filho-cão. Após a morte da dona oficial – que era muito afeiçoada aos seus animais de estimação -, este patudo herdou cerca de 90 milhões de euros. Além disso, angariou casas de luxo nas Bahamas, Itália e Miami. Limusines, motorista privado, bifes da melhor qualidade e muito brilho à mistura são os adereços que ajudam a compor o quotidiano de Gunther: o conde.

 

Gunther IV Imagem: Celebrity Pet Worth

 

 

Tommasino – o gato preto com sorte

 

A italiana Maria Assunda morreu, em 2011, com 94 anos. Para trás ficou o seu companheiro felino: o Tommasino, também conhecido por Tommaso. No entanto, não o deixou de “patas a abanar”. Assunda passou-lhe toda a sua fortuna, em testamento, segundo a plataforma SkyNews. O gato preto (nada azarado) herdou cerca de 11 milhões de euros e dois apartamentos – um em Roma e outro em Milão -, mas, devido à lei italiana, este não pode ficar com o título de “felino milionário”. Como não foi encontrada nenhuma associação animal adequada para receber o dinheiro, os advogados de Maria Assunda nomearam Stefania, a enfermeira da família, como tutora do Tommasino, dando-lhe a liberdade para gastar o dinheiro com tudo o que o bichano precisar e desejar.

 

Imagem: Correio do Povo

 

 

 

 

 

 

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.