Saúde

Como ter paz interior diante de um cenário exterior negativo

5 min

A paz interior, como o próprio nome já sugere, é um estado interno onde a sensação de calma, estabilidade e continuidade prevalece em relação ao caos que pode estar no exterior. Sendo um estado mental, exige medidas internas sólidas e constantes que ajudem a neutralizar possíveis interferências negativas.

 

Mas como acalmar seu interior em momentos delicados da vida, como crise econômica, saúde fragilizada, situação política desgastante ou outros fenômenos que não podem — nem devem — ser ignorados? Confira algumas sugestões para confortar o seu interior em momentos difíceis.

1) Livrar-se das especulações

O primeiro passo diante de um cenário delicado seria analisar a situação e ver o que é real e o que não é. Isso porque o nosso cérebro tem a capacidade de fazer com que a maioria de nós enxergue situações complicadas como piores do que realmente são. O objetivo, com isso, é não exagerar os seus problemas.

 

Em um cenário de possibilidade de uma doença, por exemplo, a tendência é o desespero antes de qualquer outra informação mais detalhada. Pensa-se logo no pior, desespera-se com um futuro que poderá não existir e deixa-se o presente de lado para sofrer algo que ainda nem se sabe se existirá. Não sofra por antecipação com base em suposições. Nesse caso, vá ao médico, faça exames, veja o que pode fazer e o que não pode e tente se acalmar. Não caia na tentação de automedicar-se ou autodiagnosticar-se, principalmente com os conselhos do Google ou daquele vizinho que assiste ao Dr. House, pois isto pode aumentar a ansiedade e mesmo causar problemas que antes não existiam. Todo o processo de ter certeza do cenário em que está leva algum tempo e não necessariamente o resultado será negativo. Então: calma!

 

Analise a situação e pergunte-se: o que está tirando a sua paz? Observe o seu interior e perceba o que você sente. É raiva? É medo? É preciso ter raiva, é preciso ter medo? Aja sempre com base em certezas.

2) Veja o que pode ser mudado e faça uma coisa de cada vez

Após ter certeza do cenário, não gaste tempo nem energia com coisas que não pode mudar, seja em você, seja no outro, seja na situação. Aprender a aceitar a vida como ela é, é optar por paz de espírito. Para chegar a isso, o primeiro passo seria conhecer-se na intimidade e aceitar os seus limites, os seus defeitos, compreendendo as suas habilidades e virtudes. É o processo chamado autoconhecimento.

Em seguida, analise o outro e a situação que te angustia. Qual é a essência do problema? Por exemplo, se você é monogâmico e sofre por estar em um relacionamento com alguém poligâmico — uma das mais comuns formas de sofrimento emocional — é importante discutir qual o rumo da relação. O conceito de fidelidade pode ser diferente para ambas as partes — assim como a noção de posse — e cabe somente a vocês decidirem o que fazer e o que valorizar. Quando perceber que algo não pode ser mudado, aceite e busque soluções alternativas para ter paz. Há, obviamente coisas que podem ser mudadas. Mas pensar que tudo pode ser controlado ou alterado é uma receita certeira para não ter paz.

 

Quanto ao que pode mudar, faça um planejamento e cumpra uma coisa de cada vez. É verdade que não adianta adiar os problemas, é preciso que eles sejam solucionados e nem sempre será um processo organizado. Mas ter um direcionamento ajuda. Primeiro, porque é um caminho a seguir. Depois, porque ter atenção plena no que está fazendo auxilia a diminuir o stress e garante algum resultado. Se manter no presente é fundamental para a paz de espírito.

 

Pensemos na ideia de falta de dinheiro, um desestabilizador comum atualmente. Organize-se, planeje e tente executar, dia após dia, um plano. Quais são as minhas dívidas? Qual o montante necessário para quitá-las? Quanto é necessário para viver mensalmente, sem luxos? Tenho um trabalho? Se não tenho, como consegui-lo? Se tenho, é possível fazer algum dinheiro extra? O que é possível reduzir em gastos?

 

E para as soluções, seja mente aberta. Se tem um terreno, é possível plantar alimentos e reduzir a compra no mercado? Você precisa mesmo daquele pacote de Internet com TV a cabo e telefone fixo? Há algo que goste muito de fazer e que possa ser rentável? Há quem ganhe dinheiro até mesmo fazendo compras (os clientes-mistério ou cliente oculto). Quanto é possível deixar de lado para, caso tenha um problema no futuro, não precise ficar desesperado para conseguir dinheiro?

3) Não se cobre nem pelo passado, nem presente, nem futuro

O processo de construção da paz interior não é como uma seta em ascendência, é antes como uma espiral. O passado é extremamente importante para a construção do seu “eu” e sempre deve ser considerado para a compreensão dos seus medos, problemas e características, no entanto, não pode ser mudado. No máximo, pode ser analisado e usado como referência. Se há algo do passado de que se arrepende ou que não faria da mesma forma, aprenda com isso e pense que — em algumas situações — haverá oportunidades de fazer diferente em outros momentos da vida. Não se martirize por não ter feito uma reserva de emergência quando teve oportunidade e hoje não ter dinheiro. Não pense no que a alimentação desequilibrada ou os hábitos de vida contribuíram para a doença que desenvolveu. O passado é passado.

 

O presente é o único momento que realmente existe, já que o passado é lembrança e o futuro é suposição. No entanto, o presente também pode ser permeado por cobranças desnecessárias que precisam ser deixadas de lado para chegar a um estado de maior paz interior. Veja bem que isso não significa zerar as cobranças, até porque é preciso ter algum autocontrole e saber cumprir as coisas a que se propõe, mas saber o que deve cobrar de si mesmo e o que não deve é algo que pode te trazer calma.

4) Admire e organize o seu entorno

Os pequenos detalhes da vida são fundamentais para nos apegarmos quando nos vemos diante de um grande problema. Quando uma coisa nos toma muito a atenção, em geral, esquecemos de pequenas coisas que damos como adquirido. Grandes problemas financeiros, por exemplo, podem nos fazer esquecer de passar um tempo de qualidade com a família ou de como é importante o simples fato de respirarmos. Uma simples conversa ou caminhada — com olhos atentos — pela vizinhança pode nos fazer enxergar tipos de trabalho que antes não vislumbrávamos e que podem ser oportunidades. Além disso, permite ver um pássaro, uma árvore, um desenho no muro ou um conserto criativo que o vizinho fez na casa dele: pequenos detalhes do dia a dia que não observamos. Isso pode ajudar a permanecer com as atenções no momento presente.

 

E que tal dedicar-se à arrumação da casa ou do jardim? São duas atividades que permitem a atenção plena no presente. Estar em um ambiente organizado ajuda a manter em ordem os pensamentos, além de ser exercício físico e mental e dar a sensação de tarefa cumprida. Mas não basta que outro faça, porque é o processo de organizar e limpar que funciona para muitos como terapia. Fora que, se não tem o hábito de ajudar as tarefas domésticas, é uma forma saudável de melhorar as relações com quem você mora junto, seja em contexto familiar, amoroso ou de amigos. Já ouviu falar da Marie Kondo, especialista japonesa em organização pessoal que faz sucesso mundial? Talvez ela te ajude nesse processo.

5) Cerque-se de pessoas, mas evite as tóxicas

Pessoas tóxicas drenam a capacidade de positividade. São aquelas pessoas que dizem que nada dará certo, que apontam os teus erros com mais veemência do que o necessário, que lamentam o seu estado (financeiro, de saúde, etc) mais do que você, que te cobram, te pressionam em demasia ou que se fazem de vítima colocando todo o peso da situação nas suas costas. Elas frequentemente te impedem de encontrar saídas para os seus problemas e aumentam a importância que um problema tem na sua vida, tirando a sua paz.

 

Tenha calma, respire fundo e, dependendo da pessoa (sim, porque às vezes as pessoas tóxicas são nossos pais, companheiros, amigos, aqueles que amamos) converse para que ela compreenda que a atitude não ajuda a sua paz interior. Em situações mais radicais, principalmente se não for uma pessoa central na sua vida, afaste-se. Sua saúde mental é mais importante e você tem que prezar pelos momentos felizes e positivos em sua vida. Aliás, há muitas maneiras de criar pensamentos positivos que deixam as pessoas felizes, talvez alguma sirva para você.

6) Relaxe

Relaxar é ter uma conexão com você mesmo, com seu eu, com seus pensamentos e sentimentos. Ajuda a pensar soluções, a ver cenários positivos, a estimular a criatividade e mesmo a aceitar coisas que não podem ser mudadas. Meditação, horas de descanso, ASMR (Autonomous Sensory Meridian Response, ou Resposta Sensorial Autônoma do Meridiano, em português), pintura, leitura, séries… o que te acalma? Utilize isto para te trazer para um mundo mais tranquilo — sem, no entanto, se alienar totalmente dos problemas. Lembre-se que fugir não vai resolvê-los. Diante de um problema, pense se ele realmente é relevante a ponto de continuar sendo uma questão a longo prazo.

 

 

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.